Otorrino Paulista

Conheça 6 sintomas de problemas nas cordas vocais e como prevenir

Você tem dificuldade para falar ou sofre de tosse seca? Esses são alguns sintomas de problemas nas cordas vocais, chamados por muitos de calo na garganta. Porém, algumas pessoas também percebem ou sentem rouquidão, alteração no tom de voz e dor de garganta, sinais de que algo está errado.

Nem sempre esses incômodos indicam algo grave, podendo ser sintomas de alergias ou resfriados que são facilmente controlados. Porém, quando eles persistem por muitos dias, é preciso procurar o médico de imediato para os diagnósticos e os tratamentos corretos.

Em muitos casos, as alterações na região da fala podem ser a causa da presença de nódulos vocais ou até mesmo câncer. Neste artigo, vamos mostrar a importância de cuidar bem das cordas vocais, quais são os problemas e as causas mais comuns na região, seus sintomas, os tratamentos e as formas de prevenção. Veja!

O que são cordas vocais e por que cuidar bem delas?

As cordas vocais são canais localizados no interior da laringe que possibilitam a emissão de sons. Logo, qualquer alteração nessa região vem acompanhada de lesões. Quando isso acontece, nossa voz é prejudicada.

Em uma situação de repouso, as pregas da voz, em geral, formam uma abertura em “V”, de modo a permitir que o ar seja conduzido pela traqueia. Elas se abrem quando inspiramos (momento em que o ar acessa os pulmões) e se fecham quando falamos ou ingerimos algo.

Para evitar problemas nas cordas vocais — nódulos, paralisia, pólipos, granulomas e até câncer, entre outros —, é fundamental cuidar bem delas. O bom uso da voz, a hidratação adequada e a consulta regular com o especialista para o diagnóstico precoce ou a prevenção de doenças são medidas necessárias para mantê-las sempre saudáveis.

Quais sintomas indicam problemas nas cordas vocais?

Gritar e pigarrear em excesso são exemplos de mau uso da voz capazes de causar inflamações, nódulos ou calo na garganta. Determinados sintomas são recorrentes em pessoas que estão com problemas na região. Saiba quais são eles!

1. Rouquidão

Trata-se de um tipo de alteração na voz que modifica o som emitido. É comum haver mudança na frequência vocal ou “falhas” no momento de falar. As alergias respiratórias, o refluxo e os danos nos nervos vocais são algumas das causas da rouquidão.

2. Dor de garganta

Na maior parte dos casos, indica algum tipo de inflamação ou infecções causadas por vírus ou bactérias. Contudo, a dor de garganta também pode ser sinal de doenças graves, como o câncer de faringe e laringe.

3. Alteração no tom de voz

É sintoma de algum tipo de disfonia, termo médico que designa as alterações vocais. A voz pode ficar muito fina, grossa ou até mesmo rouca, devido principalmente ao abuso do uso. Esse é um dos sintomas de calos nas cordas vocais, os quais provocam dor ao falar.

4. Voz soprosa

Isso acontece quando há sensação de que o ar está escapando junto da fala, ou seja, no momento da vibração das cordas vocais. A voz soprosa, ou soprosidade, é um dos sintomas de nódulos na região da garganta.

5. Cansaço ao falar

Muitos indivíduos com problemas nas cordas vocais reclamam de cansaço durante a fala. Nesse caso, é fundamental consultar o especialista para investigar se há algum tipo de lesão na área e tratá-la o mais rápido possível.

6. Paralisia das cordas vocais

A paralisia das cordas vocais ocorre devido à presença de lesões, tumores ou danos aos nervos localizados na região, por toxinas ou infecções. Há alteração na voz e, em alguns casos, dificuldade para respirar.

Quais são as principais causas do calo na garganta?

Problemas nas cordas vocais atingem mais as crianças de sete a nove anos e as mulheres de 25 a 35 anos. Alguns profissionais, como professores, apresentadores, atores e cantores, devem ter um cuidado diferenciado ao usar a voz. Afinal, ela é muito exigida em suas atividades, o que aumenta o risco de calo na garganta.

Entre as principais causas de problemas nas cordas vocais, vale destacar os seguintes!

Uso inadequado da voz

O ato de gritar ou até mesmo falar mais baixo, projetando menos a voz, pode gerar calo na garganta. A tentativa de chegar a graus mais graves ou agudos, fato observado principalmente em profissionais de música e atores, também pode ser prejudicial às pregas vocais. Por esse motivo, é preciso realizar antes treinamentos e exercícios, a fim de aquecer a região e evitar problemas.

Emprego exagerado da voz

Assim como qualquer parte do nosso corpo, a região vocal também precisa repousar. Ao utilizar a voz por muito tempo — algo que comumente acontece com professores e músicos, por exemplo —, há o risco de as cordas sofrerem lesões. Ou seja, falar demais cansa as pregas, podendo gerar dor, rouquidão e alteração na voz, entre outros sintomas.

Gripes e crises alérgicas

Gripes e crises alérgicas podem gerar irritação ou até mesmo inchaço na mucosa da garganta e das pregas da voz. Logo, também são causas de problemas nas cordas vocais. Isso acontece porque a elasticidade dos músculos presentes na região diminui — eles fecham pouco e ficam cansados. A rouquidão é frequente nesses casos.

Refluxo gastroesofágico

O refluxo gastroesofágico ocorre quando há o retorno do alimento do estômago para o esôfago ou até mesmo para a garganta. A acidez estomacal presente no conteúdo provoca lesões nas pregas vocais e, por conseguinte, irritação e dores na região. É preciso procurar o médico especializado para investigar a causa do problema e iniciar o tratamento apropriado.

Laringite

A laringite é a inflamação da laringe, área em que justamente ficam localizadas as cordas vocais. O principal sintoma da lesão é a dor de garganta. Esse tipo de infecção é de origem viral e bacteriana, mas ela também pode ser provocada devido ao esforço excessivo da voz e à inalação de agentes alérgicos. Determinados hábitos, como fumar e consumir bebidas alcoólicas em excesso, favorecem o quadro.

Inclusive, os problemas nas cordas vocais também se manifestam como consequência de algumas agressões vindas de fatores externos. Isso significa que certas práticas adotadas no dia a dia, bem como as condições ambientais, agridem as pregas da voz desencadeando sintomas incômodos.

Tabagismo

Fumar cigarros, charutos, cachimbos, narguilés ou outras substâncias provoca problemas nas cordas vocais por causa das toxinas nelas presentes, o que também acontece com drogas ilícitas. Além disso, a fumaça resseca os tecidos e as mucosas, e sua alta temperatura resulta em queimaduras na região.

Consumo de álcool

Por causa da sua composição, as bebidas alcoólicas são agressivas para a região da garganta. Elas provocam irritação no local e levam ao ressecamento dos tecidos — com isso, as infecções são favorecidas. Os prejuízos são ainda maiores quando tais bebidas são associadas ao tabaco.

Poluição do ar

A poluição atmosférica ameaça a saúde de todo o sistema respiratório. Quando aspiramos fumaça, por exemplo, além de ressecar os tecidos, ela traz consigo substâncias tóxicas que favorecem irritações, inflamações, infecções e até mesmo a formação de tumores.

Baixa umidade

Quando a umidade do ar está muito baixa, ocorre a desidratação da garganta. Esse fator pode estar associado às mudanças climáticas ou devido à permanência em ambientes com ar-condicionado. O ressecamento, conforme já dissemos, favorece a irritação e as infecções.

Quais são os principais problemas nas cordas vocais?

Como você pôde perceber, os problemas nas cordas vocais desenvolvem-se em função das agressões que essa região sofre, seja por causa de nossos hábitos, seja por fatores externos. A seguir, falamos sobre as principais doenças que atingem essas estruturas. Acompanhe!

Calo

Também chamado de nódulo, o calo na garganta é um tipo de tumor benigno e pequeno que se forma por causa do atrito das cordas vocais. Ele se desenvolve basicamente pelas mesmas causas que levam à formação de calos nos pés.

A fricção dos tecidos desencadeia esse espessamento como uma forma de proteção. Alguns sintomas de calo nas cordas vocais são:

  • rouquidão;
  • falha na voz;
  • dificuldade para falar;
  • irritação na garganta;
  • tosse seca e frequente;
  • redução do volume da voz.

Pólipo

O pólipo também é uma formação benigna que se parece com uma pequena verruga. No entanto, é maior do que os calos, podendo chegar ao tamanho de uma ervilha. Enquanto se desenvolve, forma-se um pedúnculo que faz essa pequena massa de tecido ficar presa à corda vocal.

Geralmente, há somente um pólipo, mas existem casos em que crescem dois ou mais. Alguns dos seus sintomas são:

  • rouquidão;
  • sensação de garganta arranhando ao respirar ou falar;
  • irritação na garganta;
  • presença de muco.

Tumores

Os tumores nas cordas vocais podem se caracterizar como benignos, como em casos de calos, pólipos e cistos, mas também podem ter origem maligna, em situações de câncer de laringe, por exemplo.

Por isso, é muito importante receber um diagnóstico rápido, a fim de evitar a disseminação da doença para os gânglios linfáticos. Alguns sintomas de tumores são:

  • rouquidão persistente;
  • alterações na voz;
  • dor ou dificuldade para engolir;
  • dificuldade para respirar;
  • tosse persistente;
  • ferida que não cicatriza;
  • presença de nódulo ou massa no pescoço.

Granuloma

O granuloma é um tipo de lesão inflamatória que afeta a região da laringe por causa de um trauma sofrido na área. Esse é o caso de danos provocados por uma intubação prolongada, por exemplo, mas também ocorre em pessoas que pigarreiam muito, falam alto demais, usam a voz com intensidade ou sofrem de tosse crônica. Seus sintomas mais comuns são:

  • rouquidão;
  • dor de garganta;
  • sensação de pigarro ou corpo estranho;
  • tosse frequente.

Como evitar danos na região da fala?

Os problemas nas cordas vocais podem ser evitados com medidas simples. Confira quais são elas!

Mantenha a hidratação

Beber água durante todo o dia é fundamental para manter a garganta hidratada, principalmente em dias quentes e secos ou quando se usa muito a voz.

Prefira alimentos em temperatura ambiente

Alimentos muito quentes ou frios podem causar danos à garganta ou região da fala. Por isso, é recomendado evitá-los. Uma dica para limpar as cordas vocais é comer maçã, se você for usar muito a voz.

Boceje

O bocejo ajuda no relaxamento das pregas vocais. Portanto, se sentir vontade de bocejar, não economize no ato. Além disso, espreguiçar o corpo é uma ação que pode reduzir a tensão na região dos ombros e do pescoço, contribuindo com a prevenção de problemas nas cordas da voz.

Consuma o café com moderação

A cafeína e a temperatura elevada do café são ingredientes que prejudicam a saúde vocal, pois causam a desidratação das cordas vocais. A bebida também contribui com o aumento da acidez no estômago, propiciando o refluxo gastroesofágico e a ardência ao falar.

Evite forçar a voz ou pigarrear

Gritar, pigarrear ou forçar a voz pode provocar lesões na região da fala e dores de garganta. Isso acontece devido ao aumento da pressão no local. Para aliviar possíveis incômodos, a recomendação é beber água.

Respire pelo nariz

O correto é respirar pelo nariz e não pela boca. A prática inadequada resseca a garganta e exige um maior esforço para falar, o que pode prejudicar a saúde da voz.

Faça exercícios vocais

Os exercícios vocais só podem ser feitos com a orientação de um fonoaudiólogo. Eles servem para aquecer e desaquecer a voz, sendo indicados principalmente a profissionais que dependem essencialmente da fala para exercer suas atividades.

Articule bem as palavras ao falar

Quem articula bem as palavras dificilmente tem problemas para ser compreendido. Logo, não é preciso repetir o que foi dito nem falar mais alto para que o outro escute. Assim, você evita o esforço vocal e previne o desconfortável calo na garganta.

Evite o álcool e o cigarro

Devido à acidez, a ingestão de álcool pode resultar em inchaço ou incômodo nas cordas vocais. Já o cigarro, conforme mencionamos anteriormente, contém substâncias que causam a voz rouca e irritação na região, além de serem cancerígenas.

Como tratar os problemas de voz?

O tratamento dos problemas de voz somente pode ser indicado por um profissional. Por isso, quando os sintomas persistem por mais de dez dias, é preciso procurar o otorrinolaringologista, médico especializado em garganta, ouvido e nariz.

A especialidade de laringologia e voz dedica-se a examinar os problemas na fala para tratá-los de forma adequada. A depender do diagnóstico, o médico poderá recomendar o uso de medicamentos ou até mesmo a cirurgia de cordas vocais, como no caso de doenças como o câncer.

O diagnóstico correto poderá ser feito por meio de procedimentos específicos, como o exame de nasofibrolaringoscopia, que localiza e diferencia doenças e problemas nas cordas vocais e outras regiões do nariz e da garganta.

Em casos menos graves, o tratamento pode envolver o descanso da voz e a hidratação da garganta, bem como a eliminação de hábitos prejudiciais. Os exercícios com o fonoaudiólogo também são indicados para ajudar na recuperação e na mudança de comportamento vocal inapropriado.

Neste artigo, você descobriu quais são os sintomas de calo na garganta e outras manifestações que indicam doenças e problemas nas cordas vocais, além das formas de prevenção para mantê-las sempre saudáveis. A qualquer indício de que há algo errado com a sua voz, não deixe de procurar uma clínica especializada de confiança, combinado?

Agora que está a par dos problemas na região da fala, que tal continuar bem informado sobre assuntos como esse? Assine já a newsletter e receba conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail!

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?