Otorrino Paulista

Voz rouca na infância: quando indica um problema?

As alterações vocais no público infantil nem sempre são percebidas pelos pais como um sinal de alerta que precisa ser investigado. Há até quem considere a rouquidão infantil um charme e brinque com a situação quando, na verdade, deveria investigar tal sintoma. Uma criança rouca precisa de tratamento especializado.

No linguajar médico, dizemos que uma criança rouca apresenta um quadro de disfonia. As causas da alteração na voz são variadas, de um simples resfriado a uma alergia ou uma doença mais grave. Por isso, o médico deve ser procurado para o correto diagnóstico e a solução do quadro.

É preciso verificar, ainda, se a rouquidão está relacionada com os hábitos da criança. Especialmente aqueles que iniciam a fase escolar, costumam usar bastante a voz e, muitas vezes, esforçam-se demasiadamente — falam alto demais ou gritam, falam por muito tempo etc.

Neste post, vamos explicar o que é disfonia infantil e sua relação com a rouquidão, quais são as causas da voz rouca na infância, quando ela, de fato, indica um problema e exige ajuda médica e quais cuidados são necessários para evitá-la. Fique por dentro do assunto!

O que é disfonia em crianças?

A disfonia infantil é qualquer alteração ou problema na voz da criança. Portanto, é esse o termo utilizado pelos médicos para se referir aos problemas na área da fala. São exemplos desse quadro o cansaço vocal e a dor ao falar, ou quando a voz fica muito fina ou grossa.

Determinadas crianças têm maior predisposição à disfonia devido a alergias (como a rinite), à sensibilidade decorrente de mudanças no clima ou, até mesmo, ao abuso da voz. Logo, algumas medidas devem ser tomadas para evitar o aparecimento do problema.

Rouquidão infantil

A rouquidão é um tipo de disfonia. Trata-se de uma alteração na voz, que muda sua frequência normal ou até mesmo resulta em “falhas” na hora de falar. Por isso, o som emitido por uma criança rouca sai com dificuldade.

Vale destacar que a rouquidão infantil é sinal do mau funcionamento da laringe, órgão que permite a emissão vocal e por onde passa o ar para a traqueia e os pulmões. É nessa região que ficam as nossas cordas vocais. A ida ao médico é necessária para tratar o problema.

Outro ponto a ser mencionado é que ficar parcial ou totalmente sem voz afeta tanto a saúde física como emocional. Afinal de contas, uma criança rouca despende bastante energia para falar e tem dificuldades para se expressar de maneira plena com os seus pares.

Quais as causas da voz rouca na infância?

A rouquidão infantil pode ser provocada por fatores variados. Veja, a seguir, quais são as principais causas!

Hábitos inapropriados

Práticas vocais inapropriadas, como gritar e pigarrear, afetam as pregas vocais. Portanto, uma criança rouca, em geral, abusa da voz, sendo importante educá-la para o bom uso, a fim de dar cessar o problema.

Alergias respiratórias

O problema pode ser decorrente, também, de alergias respiratórias, como a rinite. Trata-se de uma inflamação infecciosa que afeta a mucosa nasal, provocada por vírus ou por substâncias alérgenas — poeira, ácaros, fungos, pelos de animais, fumaça, entre outras.

Mudanças na temperatura

Em alguns casos, a voz rouca na infância está relacionada com as mudanças na temperatura. Tal situação deixa as crianças suscetíveis a resfriados e gripes, por exemplo. Portanto, quem é mais sensível tende a ser acometido com esse tipo de disfonia, o que requer cuidados extras dos pais.

Fator genético

A voz rouca na infância também pode ser congênita. Logo, há crianças que nascem com alguma alteração nas cordas vocais, a mesma observada no pai ou na mãe. Contudo, o problema só é identificado quando elas começam a falar. O quadro requer análise e tratamento.

Outras razões

A presença do popular calo nas cordas vocais é outro fator que gera alteração na voz, que pode ser provocada também por refluxo, tosse crônica, danos aos nervos vocais, fraqueza nos músculos localizados na região da laringe e, até mesmo, câncer de tireoide ou pulmão, entre outros motivos.

Como percebemos, dada sua origem, a rouquidão infantil exige cuidados. Sendo assim, ao contrário do que muitos pais pensam ou dizem, o problema está longe de ser um charme. É importante ficar alerta e buscar ajuda médica quando esse tipo de disfonia dura por mais de 15 dias ou melhora, mas volta com frequência.

Qual o tratamento para a criança rouca?

Falar não deve gerar desconforto, tampouco dor. Portanto, se a criança reclama de algum incômodo, é fundamental buscar ajuda médica. Isso também precisa ser feito se ela apresentar rouquidão. Logo, jamais medique o seu filho por conta própria ou utilize receitas caseiras sem que o médico autorize.

O otorrinopediatra é o especialista a ser procurado para avaliar as pregas ou cordas vocais da criança, as quais têm a função de produzir a voz. Esse profissional é o mais indicado para descobrir a causa do problema e tratá-lo de forma eficaz.

É necessária, também, a investigação de um fonoaudiólogo especialista em voz. Assim, é possível chegar ao diagnóstico correto acerca da rouquidão infantil tanto no que diz respeito ao âmbito clínico como funcional.

O tratamento dirigido à criança rouca varia conforme a causa do problema. A partir do diagnóstico, o médico poderá receitar medicamento ou, até mesmo, a fonoterapia, que envolve exercícios para a musculatura do aparelho respiratório e da boca.

Como prevenir a rouquidão infantil?

A rouquidão infantil pode ser evitada com algumas medidas simples. Confira as dicas:

  • não fazer esforço ao falar, nem pigarrear ou gritar;
  • manter o corpo hidratado. Assim, não haverá atrito entre as pregas vocais quando elas se tocarem;
  • evitar o contato com produtos que podem provocar alergias;
  • da mesma forma, evitar os locais onde haja fumaça ou demais substâncias poluentes, pois causam problemas respiratórios ou alérgicos e, por conseguinte, favorecem a rouquidão;
  • ter cuidado com as variações de temperatura. Quem usa ar-condicionado não deve se expor a ambientes muito quentes de imediato. Recomenda-se permanecer um intervalo em espaço desprovido do aparelho antes, para evitar choques bruscos e a disfonia;
  • fazer repouso vocal e evitar falar após ter abusado da voz;
  • se a rouquidão aparecer, não dê balas e pastilhas para uma criança rouca. Elas geram a sensação de alívio, mas apenas mascaram o problema. O recomendado é seguir a orientação médica;
  • da mesma forma, fugir de receitas caseiras que não tenham sido sugeridas pelos médicos;
  • caso o problema apareça e persista, procure o médico. Não medique a criança por conta própria.

Agora, sim, você compreendeu por que uma criança rouca deve ser levada ao médico. Portanto, se o seu filho apresentar alteração na voz frequentemente ou por, pelo menos, duas semanas, não deixe de procurar um especialista imediatamente para avaliar a causa do problema e tratá-lo o mais rápido possível.

Então, tirou suas dúvidas sobre o tema? Que tal continuar bem informado? Aproveite que chegou até aqui e assine a nossa newsletter agora mesmo para receber novos conteúdos em primeira mão!

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?