Otorrino Paulista

Conheça as 5 principais doenças de outono e saiba como tratá-las

No último dia 20 de março, teve início no hemisfério sul a estação do ano que antecede o inverno e sucede o verão, sendo a intermediadora entre os dois períodos antagônicos. As suas características são bastante específicas: dias quentes e noites mais frias, com variações de temperaturas muito bruscas — fazendo com que seja o cenário ideal para a proliferação de doenças e irritações respiratórias.

As doenças de outono despertam a necessidade de um cuidado maior nessa época do ano. É preciso evitar o contato com pessoas que estejam com infecções contagiosas, tomar bastante líquido e se alimentar adequadamente. No entanto, muitas pessoas ainda apresentam dúvidas sobre quais são esses problemas.

Pensando nisso, elaboramos este post para que você fique por dentro das principais doenças de outono, assim como saiba o seu tratamento. Boa leitura!

1. Amigdalite 

A amigdalite, como o próprio nome já sugere, é a inflamação dos gânglios linfáticos que se localizam na parte lateral da garganta. Ela pode ser classificada como:

  • amigdalite bacteriana — exige do paciente um tratamento mais específico com o uso de antibióticos. Por essa razão, é essencial consultar um profissional capacitado para oferecer os medicamentos mais adequados; 

  • amigdalite viral — causado pela infecção por meio de vírus das amígdalas. O quadro não é considerado tão grave e a previsão de cura é de até 5 dias.

Entre os sintomas mais comuns dessa doença de outono, podemos destacar a dor na garganta, dificuldade ao engolir, febre, dor de cabeça e no corpo, assim como o surgimento de nódulos linfáticos na parte do pescoço. ​Além da exposição ao vírus, pessoas mais jovens são mais propensas a desenvolverem a complicação do que as mais velhas, exigindo um cuidado maior com bebês e crianças mais novas. 

2. Faringite

A faringite tem os sintomas e tratamentos parecidos com o da amigdalite, fazendo com que a necessidade de buscar por ajuda médica se torne ainda maior. A faringe tem como função conectar a boca com os dois canais da garganta, além do esôfago e a laringe. Ao inflamar, o paciente será acometido com a faringite, necessitando de cuidados especiais para que o quadro não se agrave.

A sua maior incidência está nos períodos de baixa temperatura, uma vez que as pessoas ficam em ambientes fechados, extremamente propícios para a sua transmissão. Além disso, o ar seco característico desses períodos é um fator propício para essas infecções. 

A faringite pode ser facilmente confundida com outras doenças respiratórias justamente pelos seus sintomas. Geralmente, ocasiona febre, garganta avermelhada, inchaço no pescoço e dificuldades ao engolir. A rouquidão também é uma característica do paciente, assim como a perda de apetite. 

Para o seu tratamento eficaz, é necessário identificar o seu tipo — que também pode ser viral e bacteriana — para que a medicação seja a correta. 

3. Sinusite

sinusite é a inflamação dos seios nasais, região formada por cavidades ósseas nas proximidades do nariz. Existem dois tipos dessa doença: 

  • aguda — cujos sintomas estão presentes em um período inferior a 12 semanas;

  • crônica — cujos sintomas estão presentes em um período superior a 12 semanas. 

Pode ser causada tanto por agentes infecciosos quanto por fatores paralelos, como o desenvolvimento de alergia. Entre os fatores de risco que proporcionam maiores chances de desenvolver a doença, destacamos o desvio do septo nasal (tendo como consequência restrições ou bloqueios das passagens no seio nasal), infecções respiratórios (como a gripe), além do tabagismo e mudanças repentinas de altitude.

Entre os sintomas, os mais comuns são:

  • perda olfativa; 

  • febre;

  • dor facial; 

  • gosto amargo na boca;

  • mau hálito; 

  • dores no maxilar. 

O tratamento geralmente é feito por soluções nasais, remédios orais indicados pelo profissional, descongestionantes e antibióticos.

4. Bronquite

Os brônquios são tubos que levam o oxigênio até os pulmões. Ao inflamarem, o paciente estará com quadro de bronquite. Também é encontrada em dois tipos: aguda e crônica. A primeira acomete especialmente crianças e pessoas mais idosas, enquanto a segunda é associada aos pacientes com asma e indivíduos com problemas respiratórios, muito associados ao consumo do cigarro. 

Caso esteja com os sintomas de irritação na garganta, falta de ar, nariz congestionado, tosse com secreção, chiado e dores no peito, além de febre, é preciso procurar o médico, pois as chances de estar com essa doença são significativas. Ambientes muito poluídos, o uso frequente do ar-condicionado (que tem como consequência o ressecamento das vias aéreas) e o tabagismo são considerados alguns fatores de risco.

O tratamento consiste na hidratação das vias respiratórias, seja com inalação, seja com soro fisiológico. Para isso, é preciso utilizar umidificadores, que contribuirão para que o muco seja expelido e facilite a respiração. 

No entanto, o tipo crônico exige um cuidado mais especial por parte do paciente, especialmente para evitar o contato com fatores de riscos já mencionados. 

5. Gripe

Talvez seja uma das doenças de outono mais conhecidas e facilmente confundida com todas as outras. É causada pelo vírus Influenza, muito contagiosa e bastante propícia em períodos mais frios, também pelo fato de ser transmitida em locais fechados onde as pessoas estão se protegendo das baixas temperaturas. 

Entre os seus sintomas, os mais comuns são as dores musculares, febre, tosse seca e indisposição. Entre os fatores de risco, destaca-se a idade, sistema imunológico fraco, doenças crônicas, gravidez e obesidade.

Há remédios caseiros que podem diminuir os seus sintomas, como sucos e xaropes. No entanto, a consulta médica não pode ser subestimada, uma vez que ele entenderá qual é o quadro do paciente, além de receitar a medicação adequada. 

Caso não haja o tratamento, a gripe pode apresentar complicações e desenvolver:

  • bronquite;

  • pneumonia;

  • problemas cardíacos;

  • infecções. 

Neste texto, você pôde ter acesso a 5 das principais doenças de outono. Nesse período, o ideal é ficar atento a qualquer um dos sintomas apresentados, especialmente em crianças e pessoas mais velhas, cujo sistema imunológico é mais fraco que o do restante das pessoas. Ao constatar uma dessas sensações, procure um médico, identifique o que tem sentido, o período em que os sintomas apareceram e busque pela melhor forma de tratamento. 

A rinite alérgica também é considerada uma doença comum desse período. Caso queira entender um pouco mais sobre esse assunto, continue no blog e boa leitura!

Compartilhe !

WhatsApp Agendar consulta