Otorrino Paulista

Quais as principais causas de dor no ouvido?

O uso repetido e inadequado de cotonetes é uma das causas de dor no ouvido mais frequentes. Pode parecer ironia, mas é uma verdade. Muitas vezes, tentamos cuidar do nosso corpo, mas não sabemos muito bem como, não é mesmo?

A dor de ouvido, ou otalgia, é umas das mais inconvenientes e desconfortáveis: afeta a concentração, aumenta a irritabilidade, interfere na audição e diminui a qualidade de vida. Pois é, ela pode causar um alvoroço no nosso dia a dia. Então, como devemos proceder?

Aprenda agora mesmo tudo o que precisa saber sobre as dores e pontadas no ouvido, quais seus sintomas e suas principais causas. Descubra também quando procurar um médico especialista e quais são os tratamentos possíveis, e ainda receba algumas dicas imperdíveis para aliviar o incômodo até chegar o dia da consulta.

Quais são os sintomas principais?
Existem alguns sintomas locais como coceira, dificuldade para ouvir sons baixos, queimação, pressão, zumbido e até mesmo dores semelhantes a pontadas. Pode ocorrer em apenas um ou nos dois ouvidos, vir acompanhada de febre e de um líquido malcheiroso que sai do canal auditivo.

Contudo, muitos sintomas são mais gerais e incluem irritabilidade, perda de apetite e de equilíbrio, dificuldade para dormir e a mais comum: a dor de cabeça, constante ou não. Algumas vezes, pode estar associada, também, a uma dor de garganta.

O que pode causar a dor no ouvido?
As causas de dor no ouvido são diversas, podendo estar relacionada ao sistema de audição ou não. A situação de saúde das áreas próximas pode influenciar muito e ser a responsável pelo incômodo. Veja agora as principais origens possíveis.

1. Higiene inadequada
A falta de higiene do sistema pode causar o acúmulo de placas de cera. Essa substância é muito importante para lubrificar o canal auditivo, mas em excesso endurece e faz pressão no tímpano, o que causa um incômodo gigantesco.

2. Cotonetes e corpos estranhos
Nós, otorrinolaringologistas, aconselhamos a não utilizar o cotonete. Além de não higienizar corretamente, eles podem machucar muito.

Algumas pessoas, por outro lado, agem de maneira pior: coçam o ouvido com chaves e outros objetos estranhos que podem ficar presos no ouvido e gerar uma inflamação. As crianças também adoram colocar as mais variadas coisas nesse buraquinho, portanto, fique atento com seus filhos.

3. Dentes e ossos da face
Existem algumas causas dentárias ligadas à dor no ouvido. Problemas no crescimento e desenvolvimento dos ossos da face e dos dentes podem influenciar no sistema auditivo.

O ranger dos dentes, denominado bruxismo, é a razão mais comum em adultos do que a própria inflamação, ou otite. Esse movimento dental desgasta a articulação temporomandibular, que fica muito próxima do ouvido, causando uma dor quase insuportável.

4. Neuralgia do trigêmeo
A condição ocorre por causa de uma pressão sofrida pelo nervo trigêmeo, responsável por toda a sensibilidade da face e dos dentes. Essa compressão faz com que sinais de dor sejam enviados ao cérebro, ou seja, essa pessoa sente dores intensas na face, nos ouvidos e na cabeça.

5. Barotrauma
O nome engraçado se refere a uma mudança de pressão que sentimos claramente quando o avião decola ou pousa — isso mesmo, aquela dorzinha chata nos ouvidos é causada por um “barotrauma”. Esse sofrimento, contudo, é passageiro e pode ser aliviado instantaneamente ao bocejar, mastigar ou engolir algo.

6. Traumas e infecções
Uma lesão na orelha pode formar um hematoma ou um coágulo que impede a circulação sanguínea ou pressiona nervos locais. Infecções no ouvido ou provenientes de espinhas e furúnculos no local também são causas diretas. Dores de cabeça e infecções de garganta podem causar dores reflexas no ouvido e até confundir o diagnóstico.

Quando é necessário procurar ajuda médica?
Uma dor no ouvido pode ser considerada algo simples e normal quando é rápida e momentânea. Caso seja acompanhada de outros sintomas, como febre, vertigem e tontura ou dores de cabeça, ela deve ser investigada.

Atenção, pois, não se deve esperar muito para procurar um médico. Se a dor for modesta e constante, não deve durar mais que três dias, mas se ela piorar nas primeiras 48 horas ou a pessoa apresentar febre maior que 38 ºC, uma consulta se faz necessária.

O otorrinolaringologista é o médico especializado em problemas de ouvido, nariz e garganta. Ele poderá fazer o exame a fim de descobrir a real causa da dor e indicar o melhor tratamento.

Quer algumas dicas para aliviar o problema?
Às vezes, a consulta com o especialista pode demorar um pouco. Então, o que fazer enquanto não chega a hora da consulta? Como aliviar a sensação dolorida que fica durante o tempo em que o problema não é solucionado? Fique atento a estas dicas que separamos.

1. Faça compressas quentes
A compressa pode ser feita com uma bolsa de água morna ou com uma toalha aquecida. Passar o ferro sobre a toalha já é suficiente, depois é só colocá-la sobre a orelha inflamada para trazer alívio.

2. Tente uma compressa fria
Caso a toalha quente não tenha ajudado, pode ser que o frio o faça. Embrulhe gelo em um pano e tome cuidado para que não entre água no ouvido. Não mantenha por mais de 20 minutos, a fim de evitar o congelamento ou a lesão da pele.

3. Preste atenção à mastigação
Tente distribuir o alimento e mastigá-lo com os dois lados da boca. Dessa maneira, você divide a pressão entre os ouvidos e não sobrecarrega nenhum deles.

4. Beba bastante água
Beber ao menos 2 litros de água por dia é recomendável para qualquer situação, especialmente nos casos que o paciente apresentar dores nos ouvidos. Isso contribui para evitar algumas doenças e para manter o corpo saudável, uma vez que o líquido é imprescindível para a manutenção das capacidades vitais.

Caso as dores sejam acompanhadas de tontura, inclusive, é uma situação comum em quadros de desidratação. Por essa razão, beber água será a solução imediata a ser tomada para tratar o problema.

5. Mastigue e boceje
Essas ações de movimento da articulação temporomandibular ajudam a regularizar a pressão interna do ouvido e a diminuir a dor.

Como pode ser o tratamento para a dor de ouvido?
O tratamento será de acordo com a origem da dor e sempre orientado pelo médico. Não siga conselho de familiares e amigos: ao tratar pela causa errada, além de o problema original ficar sem cuidados, você pode criar outros distúrbios. A seguir, selecionamos quais são os principais tipos de tratamento para a dor de ouvido. Veja!

Anti-inflamatórios
Se alguma região do seu corpo não estiver bem, certamente, o sistema imunológico vai oferecer alguma resposta para que o problema seja solucionado. Sendo assim, o corpo transportará células com o objetivo de amenizar o agente agressor. Esse processo ocorre da mesma maneira nos ouvidos — daí vem a importância de entender a origem da dor para que ela seja tratada da maneira correta.

Nesses casos, é preciso optar pelos anti-inflamatórios. Ao ingeri-los, será possível minimizar os sintomas apresentados e oferecer uma sensação de alívio até que a inflamação acabe.

Antitérmicos
A febre também é um alerta do seu organismo de que alguma coisa não está conforme deveria. Em casos que as dores de ouvido terem esse fator como consequência, os antitérmicos trabalham para que a temperatura do corpo seja reduzida, além de proporcionar uma sensação de bem-estar.

Analgésicos
Os analgésicos também são utilizados para cessar a dor nos ouvidos. Após o seu uso, eles trabalharão para bloquear as sensações que estão provocando esse incômodo antes mesmo delas chegarem ao cérebro. Atuam, também, para alterar a forma com que o cérebro interpreta essas dores.

Qual a importância do tratamento médico?
Todos os medicamentos apresentados têm como objetivo trabalhar de alguma forma no organismo para amenizar o mal-estar provocado pelas dores, além de garantir que a inflamação ou outras causas (como as apresentadas) possam apresentar melhorias.

No entanto, é essencial que tenha o acompanhamento médico, independentemente da origem da dor ou da medicação a ser ingerida. Portanto, entenda, a seguir, a importância de um tratamento adequado.

Vai saber identificar a origem do problema
Conforme abordado, as dores são respostas do organismo de que algo não vai bem. Sendo assim, é preciso identificar de maneira precisa o que está ocasionando e quais podem ser as possíveis consequências daquele fato.

Um profissional capacitado analisará o histórico do paciente, quais foram as vezes que ele apresentou o mesmo problema e entender por que aquele quadro tem se repetido, se esse for o caso. Se o paciente apresente um distúrbio congênito, por exemplo, o quanto antes identificar será melhor para que os resultados do tratamento sejam eficazes.

Vai oferecer remédios que realmente tenham a ver com o problema
Certamente, você tem aquele parente que sempre indica alguma solução caseira quando algo está doendo, não é verdade? No entanto, é preciso entender que, apesar de algumas técnicas realmente aliviarem as dores, as causas daquele problema não estão sendo, de fato, tratadas.

Ao procurar por um profissional capacitado, o tratamento será em tempo hábil: as dores serão amenizadas e o paciente terá a certeza de que o problema foi solucionado.

Neste conteúdo, você pôde perceber que as pontadas no ouvido podem ser das mais variadas causas, necessitando de uma consulta médica para que seja avaliada de maneira precisa com o objetivo de indicar o remédio que poderá solucionar o problema.

Dessa forma, apesar de algumas soluções caseiras serem indicadas por familiares, é essencial procurar por um especialista. Somente ele entenderá o quadro clínico do paciente para fazer as melhores indicações, resultando em um tratamento eficaz para o paciente.

Se você gostou destas informações e vê a importância de espalhar esse conhecimento, compartilhe este post nas redes sociais. Dividir instrução é multiplicar sabedoria!

Powered by Rock Convert

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?