Otorrino Paulista

Uma dor crônica no ouvido retorna diversas vezes, podendo ocasionar danos permanentes de audição. Geralmente, uma infecção crônica resulta de uma infecção aguda persistente, chamada otite.

A dor de ouvido está, ainda, presente nos quadros de otite média e otite do canal externo do ouvido. Para conhecer os sintomas de dor crônica nessa parte do corpo, nós, da Otorrino Paulista, preparamos o material a seguir. Confira e saiba mais sobre o que pode estar te causando essa dor no ouvido!

O que pode causar a dor crônica no ouvido?

1. Introdução de objetos

Cotonetes, grampos ou tampas de caneta são vilões do ouvido. Além de machucar e causar lesões, a presença de um corpo estranho no ouvido é capaz de empurrar a cera para dentro do canal e infeccionar o local. No mais, a introdução desses objetos podem perfurar o tímpano e piorar a saúde auditiva. Então, nunca utilize-os para coçar o ouvido!

2. Acúmulo de cera

Ocorre quando o mecanismo de autolimpeza não funciona direito. O cerume (cera) endurece, fecha o canal auditivo de forma parcial ou total e causa dor no ouvido. A cera é produzida no conduto auditivo, nos dois terços externos.

Para fazer com que a cera não fique pressionada contra o tímpano e interfira na vibração e envio de ondas sonoras para dentro do ouvido, o terço interno junto ao tímpano fica liberado do conduto auditivo. O acúmulo de cera, mais visto em pessoas mais velhas, pode exigir uma lavagem, feita pelo otorrinolaringologista.

3. Acúmulo de líquido

Água retida no ouvido depois do banho, piscina ou praia pode se misturar à cera e causar micoses (otomicoses), pois a umidade frequente no local favorece a proliferação de fungos.

4. Problemas bucais

A inflamação da gengiva (gengivite) e da dor de dente em caso de cáries ou nascimento de sisos, por exemplo, os nervos dos dentes que ficam perto do ouvido podem atingir e causar dor nas imediações, como o canal auditivo.

5. Infecções na garganta e no trato respiratório

Gripes, resfriados e dores de garganta (como amigdalites), quando não recebem a devida atenção, podem evoluir para sinusite. Assim, devido à conexão das vias aéreas, a sinusite pode se tornar uma otite média já que acomete a parte de trás do tímpano. Falaremos melhor sobre, mais à frente.

Esses sintomas, se não tratados adequadamente ou ignorados pela pessoa, podem voltar a ocorrer de forma persistente. Logo, podem resultar em quadros mais graves, e se tornarem sintomas de dor crônica e, consequentemente, infecções crônicas.

6. Otite

Qualquer inflamação em uma das áreas do ouvido recebe o nome de otite. Ela é caracterizada por coceira, febre, acúmulo de secreção e dor de ouvido. Elas podem durar até três meses.

Otite Média Aguda

Ela compromete a parte média do ouvido (tímpano e área em que estão os ossículos), que tem relação com o nariz. É uma infecção no ouvido médio causada por um vírus ou bactéria causada por resfriado, gripe, sinusite, rinite, adenoidite ou permanência em lugares fechados.

Aparece, sobretudo, no inverno e é mais comum em crianças entre três meses e três anos de idade. Nesse caso, a amamentação diminui as chances de se desenvolver a otite média aguda. A vacina da gripe também previne a dor de ouvido. Se não tratada, evolui para uma otite crônica.

Otite no Canal Externo

Também conhecida como otite dos nadadores, a Otite do Canal Externo do Ouvido acomete a orelha externa, local envolvido por pele e formado por um pavilhão auricular e o conduto auditivo externo, onde termina o tímpano. Esta membrana é responsável por detectar o som, amplificá-lo e encaminhá-lo à orelha média.

Essa dor de ouvido é motivada por infecções de bactérias e fungos. Geralmente surge por lesões na pele que reveste a orelha externa por meio de objetos inseridos para coçar ou secar o ouvido (cotonetes, grampos – podem perfurar o tímpano e fraturar os ossículos da orelha) e pelo contato com água contaminada (banho, piscina). É mais comum no verão, portanto.

Soluções

No geral, o tratamento pode variar, dependendo da gravidade da situação. O mais comum é o uso de analgésicos, anti-inflamatórios, compressas de água morna, descongestionantes, medicamentos em gotas aplicadas diretamente no ouvido, limpeza no local e administração de antibióticos.

Em certos casos, é preciso internar o paciente para que ele receba um melhor acompanhamento clínico. Após o diagnóstico, poderá aparecer um tumor benigno que afeta o ouvido médio, o colesteatoma. Assim, exames como a tomografia e ressonância magnética podem ser solicitados.

Se houver perfuração no tímpano, será necessário fazer uma cirurgia chamada timpanoplastia. Esse procedimento é feito para reconstruir a membrana e os ossos afetados.

Como pode ver, a dor de ouvido pode ter diversas causas. A otite média e a otite do canal externo do ouvido são exemplos de como a dor no ouvido pode se manifestar. Se não tratados, esses cenários podem evoluir para um caso de dor crônica no ouvido.

Independente do que esteja sentindo, procure logo um médico para tratar a dor crônica no ouvido. Agende agora mesmo uma consulta na Otorrino Paulista e faça sua avaliação com um de nossos profissionais. Não deixe que possíveis sintomas de dor crônica se agravem. Entre em contato pelo site ou pelo Whatsapp (11) 99142.2342.