Turbinectomia: conheça mais sobre essa cirurgia

A turbinectomia, mais conhecida como cirurgia de redução de conchas nasais, ou cornetos nasais, pode ajudar pacientes com vários tipos de doença respiratória, como rinite, rinite sinusite e inflamação nasal persistentes. Além disso, pacientes que sofrem de apneia ou sono, também podem ter nesse procedimento alguma saída, pois ele ajuda a restabelecer a respiração e conseguir uma boa noite de sono com tranquilidade. Assim, entenda como funciona  esse procedimento odontológico.

O que é turbinectomia?

A turbinectomia é um procedimento cirúrgico para atenuar a hipertrofia dos cornetos nasais. Esta operação busca solucionar a dificuldade de respiração causada por essa condição em pacientes que não tiveram a questão resolvida na cirurgia tradicional.

A saber, os cornetos nasais são a parte da anatomia do nariz responsável por filtrar e aquecer o ar que chega nas vias respiratórias. Assim sendo, alguns fatores podem causar um crescimento no tamanho dessa estrutura importante do nariz, fazendo com que a passagem do ar para o restante do sistema respiratório seja prejudicada.

No entanto, devido a traumas ou inflamações, o corneto nasal se inflama, dificultando a passagem do ar. Esses traumas, geralmente, são oriundos de uma rinite ou sinusite crônica. Assim, a respiração fica mais dificultada.

Na turbinectomia total, é retirada toda a estrutura dos cornetos nasais, incluindo a parte de cartilagem e ossos. Enquanto isso, na cirurgia nariz turbinectomia parcial, apenas uma parcela das conchas nasais é retirada.

O que é hipertrofia dos cornetos?

A hipertrofia dos cornetos nasais, nada mais é do que o aumento dessas estruturas nasais. Ela está geralmente vinculada a outros fatores que envolvem o sistema respiratório, como sinusite e rinite crônica. Esse aumento gera mais dificuldade na passagem do ar, o que resulta em sintomas como: ronco, boca seca, congestão nasal, entre outras.

Geralmente, este fenômeno ocorre devido a rinite alérgica que, devido a presença de fatores externos, desencadeiam uma crise alérgica, ou seja, uma irritação das vias aéreas que, consequentemente, ocasiona uma inflamação dos cornetos.

Contudo, isso também pode ocorrer devido a outras condições como a sinusite crônica ou alguma má-formação na estrutura nasal. Dentre esses últimos, o mais comum é o desvio de septo, no qual há uma mudança na posição da parede que faz a separação das narinas, seja devido a pancadas ou a algo ocorrido no processo de gestação.

Os sintomas da hipertrofia de cornetos são muito semelhantes ao de uma gripe ou de resfriado, porém, eles não passam com o tempo. Assim sendo, se os sintomas persistirem por um longo período, é recomendável procurar um especialista. Dentre os sintomas estão: nariz congestionado, dor de cabeça e boca seca, pois o paciente passa a respirar pela boca.

O tratamento será definido junto ao médico, dependendo do grau da hipertrofia e os sintomas que o indivíduo apresenta. É possível que a hipertrofia seja tratada apenas com o uso de medicamentos, mas, quando o tratamento através de remédios não é suficiente, faz-se necessária a intervenção cirúrgica, sendo a turbinectomia um dos procedimentos mais comuns.

Como é feita a turbinectomia?

A cirurgia de redução dos cornetos é realizada, geralmente, em associação com a septoplastia, ou seja o procedimento de correção do desvio de septo. Os cornetos nasais são formados por três estruturas laminares emparelhadas, nas quais são formadas por tecido ósseo e uma mucosa com vários vasinhos sanguíneos. Essas três são chamadas comumente de concha inferior, concha média e concha superior.

Nas operações de turbinectomia, geralmente, trabalha-se com a retirada das conchas inferior e média. Porém, em algumas situações específicas, como a sinusectomia, faz-se necessário abordar a concha superior. Já quando o paciente sofre de rinite, o corneto se encontra inflamado, fazendo-se necessária também a redução cirúrgica dessa estrutura.

Além disso, várias técnicas podem ser utilizadas durante a turbinectomia. Dentre elas estão: a turbinectomia convencional, a turbinectomia por vídeo, a turbinectomia por radiofrequência e a turbinoplastia por microdebridador. Porém, o mais importante é que cada paciente seja avaliado individualmente e que a decisão de qual procedimento é melhor seja definido avaliando cada caso.

Turbinectomia x Turbinoplastia

Assim como acontece no caso da turbinectomia, a turbinoplastia também envolve uma abordagem dos cornetos nasais. No entanto, a turbinoplastia não retira as conchas da estrutura nasal, apenas muda de lugar para facilitar a passagem do ar, ao entrar nas vias aéreas. Geralmente, após a turbinoplastia, o ar passa pela cavidade nasal sem nenhum impedimento.

Somente em alguns casos, quando a simples realocação do corneto não for suficiente para normalizar o processo respiratório, é recomendado um procedimento um pouco mais invasivo, com a extração de uma parte do tecido dos cornetos.

Pós-operatório da turbinectomia

Por se tratar de um procedimento que é de certa maneira simples, ao passar o efeito da anestesia, o paciente já pode ser liberado para ir embora. A partir daí, a pessoa deve permanecer em repouso por 48 horas para atenuar o sangramento. É normal acontecer sangramentos na garganta e no nariz nesse período, como consequência imediata do procedimento. Portanto, se o sangramento persistir por um período maior que isso, recomenda-se que procure seu médico.

Além disso, é recomendável manter as vias nasais bem limpas, realizando a lavagem da mesma forma que o médico orienta ao paciente. Por envolver endoscópios, ou seja, uma cirurgia por vídeo, pode-se fazer uma cauterização no local, fazendo com que a utilização de tampões não seja necessária.

Por fim, no repouso variável é preciso de um período sem realizar atividades físicas ou esforço considerável, para evitar sangramentos muito fortes ou outras complicações.

Portanto, a turbinectomia, como foi mencionado anteriormente, é uma cirurgia de redução de conchas nasais, ou cornetos nasais, que pode ajudar pacientes com vários tipos de doença respiratória, como rinite, rinite sinusite e inflamação nasal persistentes.

Se você sentir alguns dos sintomas de turbinectomia, agende uma consulta com a equipe da Otorrino Paulista para avaliar seu caso. A Empresa Otorrino Paulista atua na área de Otorrinolaringologia e pode aliviar o seu problema de saúde, por exemplo, receitando um descongestionante nasal para aliviar sua rinite alérgica. Portanto, uma boa respiração é a base para se ter mais saúde e qualidade de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Como posso te ajudar
Enviar WhatsApp