Otorrino Paulista

Você conhece as causas da rouquidão? Saiba como tratar!

Você sabe quais são as mais frequentes causas da rouquidão? Quando falamos demais, gritamos ou estamos com alguma infecção na garganta, nossas pregas vocais correm o risco de ficarem irritadas ou inflamadas. Logo, a qualidade e o tom de voz sofrem alterações.

Porém, esse incômodo pode, ainda, ser sinal de problemas graves. Isso porque nódulos, cistos e até câncer na região do pescoço provocam o mesmo sintoma, além de outros inconvenientes que atrapalham a fala, deglutição e respiração.

Neste post, você vai descobrir o que é rouquidão, quais as causas, como tratar e prevenir. Boa leitura!

O que é rouquidão?

Chamada também de disfonia, a rouquidão é uma alteração na voz muito comum após um esforço vocal. Em geral, ela tem curta duração, mas às vezes, perdura por meses. Nesses casos, é fundamental buscar ajuda médica ao perceber que existe algo de errado com o canal responsável pelos nossos sons.

Quando dura mais de 15 dias, a rouquidão pode indicar alterações estruturais das cordas vocais. A predisposição ao Câncer de Laringe decorre principalmente do abuso de cigarro e álcool. Dores e dificuldades para engolir são alguns dos sintomas observados em pacientes que se encontram nessa situação.

Quais as causas da rouquidão?

A voz e a fala são decorrentes de uma modulação de ar iniciada nas cordas vocais, localizadas na altura do pomo de Adão, na laringe. O que causa a rouquidão é o funcionamento anormal desse órgão responsável pela emissão de sons e condução de ar para a traqueia e os pulmões.

Qualquer edema nas pregas da voz ocasiona alterações na região. Tais mudanças, logo são percebidas durante a saída dos sons pela boca, ou seja, na fala. Dito isso, saiba, a seguir, quais são algumas das principais causas da rouquidão!

Uso inadequado da voz

O motivo mais comum da rouquidão é o uso inapropriado da voz. Isso acontece quando gritamos, falamos alto demais ou por muito tempo sem parar. Professores, operadores de telemarketing e cantores estão entre os profissionais mais sujeitos a passar pela situação.

Infecções respiratórias

Gripes, faringites, bronquites e as demais infecções respiratórias afetam as cordas vocais e, por isso, também estão entre as causas mais frequentes. Assim, quando tais doenças são tratadas, a voz volta ao normal.

Refluxo gastroesofágico

O refluxo gastroesofágico é o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago ou até mesmo para a laringe. Nesse caso, as substâncias ácidas irritam as pregas vocais, o que provoca a rouquidão.

Inadaptações fônicas

As alterações anatômicas como a malformação da laringe, bem como os problemas de fala e deglutição ou fala e respiração, são outras razões para o surgimento da rouquidão que precisam ser investigadas por um especialista.

Paralisia das pregas vocais

A paralisia das cordas vocais decorre na maioria das vezes de acometimento do nervo laringeo recorrente, responsável pela motricidade das pregas vocais. Pode ocorrer após infecção viral (gripe), procedimentos cirúrgicos ou tumor em regiões do trajeto dos nervos laringeo recorrente direito e esquerdo.

Nódulos

Os nódulos também resultam em alterações na região da laringe. Tal lesão estrutural é mais frequente em pessoas que usam a voz de forma inadequada. A recomendação é agendar uma consulta médica de imediato ao sentir qualquer incômodo na garganta. 

Câncer de laringe

O câncer de laringe está relacionado ao consumo de bebidas alcoólicas e ao fumo. O sinal de alerta deve ser ligado quando a rouquidão perdura por semanas, particularmente, quando há tosse com sangue ou o paciente apresenta dificuldade para engolir e respirar.

Outras causas da alteração na voz

Além das causas da disfonia já citadas, há outros problemas de saúde que provocam o mesmo sintoma. As alergias e a tosse crônica, por exemplo, originam a alteração vocal devido à irritação e inflamação nas cordas.

Danos nas estruturas que inervam as cordas vocais, fraqueza nos músculos ao redor da laringe e ingestão de substâncias irritantes também causam o problema. Da mesma forma, complicações mais graves atingem a garganta e a voz, como câncer de tireoide ou pulmão.

Como tratar e prevenir a disfonia?

Para restabelecer a voz do paciente com rouquidão, o otorrinolaringologista trabalha junto ao fonoaudiólogo. Antes, porém, é realizada a laringoscopia, ou seja, o exame das cordas vocais com o emprego de um endoscópio. O objetivo é diagnosticar a causa do problema para tratá-lo de forma adequada.

A fonoterapia e a cirurgia são os principais métodos para tratar a disfonia. O primeiro recurso é indicado nos casos de uso inapropriado da voz, sulcos vocais, paralisia das cordas vocais ou nódulos, por exemplo. Por sua vez, a intervenção cirúrgica é indicada quando o paciente apresenta pólipo ou cisto nas cordas vocais,  assim como a quimioterapia e a radioterapia são terapias coadjuvantes à cirurgia para pacientes com câncer de laringe, a depender do estágio da doença.

Além dos tratamentos convencionais, uma série de medidas pode — e deve — ser tomada para prevenir a rouquidão. Descubra, abaixo, quais são elas:

  • evite fumar;

  • tenha cuidado com a ingestão de bebidas alcoólicas. Elas desidratam e provocam secura na garganta;

  • beba água na quantidade indicada — em média, dois litros por dia;

  • umidifique o ambiente para melhorar a qualidade do ar;

  • não fale muito alto nem por muito tempo. Repouse a voz;

  • faça relaxamento na área do pescoço. A dica é rodar a cabeça de forma lenta, além de incliná-la para os lados e para trás;

  • fuja de bebidas e alimentos em temperaturas muito elevadas ou baixas;

  • faça gargarejos com água morna e sal diariamente para eliminar as impurezas da garganta;

  • ingira uma maçã com casca, pois sua ação adstringente limpa a boca e a garganta;

  • consulte o médico regularmente ou nos casos de incômodos persistentes na região do pescoço por mais de 15 dias.

Então, aprendeu quais são as principais causas da rouquidão e como tratá-la? Caso precise de atendimento médico, opte por uma clínica de especialidade formada por profissionais de alto gabarito, que cuidem de seus pacientes com humanismo e ofereçam o melhor trazido pela medicina na atualidade.

Agora que você já sabe os motivos das alterações na voz e as formas de tratamento, aproveite a sua leitura até aqui e confira também quais são os 4 mitos sobre como aliviar a dor de garganta!

Compartilhe !

WhatsApp Agendar consulta