Otorrino Paulista

Descubra como é feita a mastoidectomia e os cuidados necessários

Nossos ouvidos são considerados uma estrutura avançada. Porém, esses órgãos são também muito sensíveis, logo, a qualquer descuido, eles podem ser acometidos por infecções. Dependendo do tipo de inflamação, somente a mastoidectomia cura o problema.

Aliás, você sabe o que é mastoidectomia? Esse tipo de cirurgia é indicada em situações específicas e requer alguns cuidados para que os resultados sejam satisfatórios. Vale lembrar, contudo, que apenas o médico especializado está habilitado a realizar o procedimento cirúrgico.

Neste post, vamos explicar o que é mastoidectomia, como é feita a cirurgia, quais os cuidados necessários no pré e no pós-operatório, quais os riscos dessa intervenção cirúrgica e como evitá-los. Veja!

O que é mastoidectomia?

A mastoidectomia é uma cirurgia realizada para tratar dois tipos de otite crônica (inflamação), a supurativa e a colesteatomatosa. No primeiro caso, a infecção já não é suprimida com a terapia medicamentosa, por isso, é preciso realizar o procedimento cirúrgico para curá-la.

Da mesma forma, a otite crônica colesteatomatosa exige a intervenção por causa da presença de colesteatoma no ouvido, ou seja, o crescimento de pele no interior do órgão. Nessa situação, estruturas no canal da audição podem ser afetadas, como o nervo da face, o tímpano e o labirinto.

É importante ressaltar que as otites crônicas são provocadas pela ação de vírus e bactérias, os quais se proliferam no canal auditivo. Qualquer lesão na região que bloqueie a ventilação do ouvido médio — como as decorrentes de um resfriado, por exemplo —, favorece o surgimento desses tipos de infecções.

Pacientes com otite são acometidos por vazamento de secreção no ouvido, além de inchaço, vermelhidão, dor (no canal auditivo e de cabeça), latejamento, febre, sensibilidade, irritabilidade e cansaço. Em casos mais graves, a doença é responsável pela perda da audição. Logo, a mastoidectomia é necessária para devolver a essas pessoas a saúde e uma melhor qualidade de vida.

Como é feita a cirurgia?

A mastoidectomia inicia com a aplicação de anestesia seguida de uma incisão atrás da orelha, que possibilita a exposição do ouvido e da mastoide (osso situado na região, o qual podemos palpar). Logo depois, o cirurgião utiliza um microscópio para examinar o local.

Após identificar os tecidos lesionados, é preciso realizar a limpeza. Para isso, o médico conta com a ajuda de um micromotor. O procedimento expõe o tímpano e permite observar se essa área também foi afetada. Em caso positivo, ela deverá ser higienizada.

Determinadas situações exigem a retirada dos ossos presentes no canal auditivo (martelo, bigorna e estribo), devido à colesteatoma ou à gravidade da infecção no local. Os médicos chamam essa cirurgia de mastoidectomia radical, por meio da qual o ouvido e a mastoide tornam-se uma só cavidade.

Por sua vez, quando o tímpano é perfurado por otite crônica ou outro tipo de infecção, é necessário realizar a correção por meio de um procedimento denominado timpanoplastia. Nesse caso, o cirurgião faz a incisão atrás da orelha ou por dentro do conduto externo da audição. A lesão é corrigida com enxerto retirado de membrana que recobre a cartilagem do ouvido ou o músculo temporal.

Quais os cuidados necessários no pré e no pós-operatório?

Em geral, os resultados da mastoidectomia são sentidos a curto prazo, afinal, quando as otites crônicas são tratadas, os sintomas decorrentes dessas infecções também desaparecem. Para tanto, é essencial seguir as recomendações médicas no pré e no pós-operatório. Saiba, a seguir, quais são elas!

Pré-cirurgia

  • faça todos os exames solicitados pelo médico (audiometria, tomografia computadorizada, entre outros);
  • compareça ao local da cirurgia em jejum de, pelo menos, oito horas e com todos os exames em mãos.

Pós-cirurgia

  • para evitar infecções, proteja o ouvido da água até o médico permitir tal contato;
  • faça repouso de uma a duas semanas, conforme orientação médica;
  • dê uma pausa nos exercícios físicos por, pelo menos, um mês ou até que obtenha autorização para praticá-los;
  • não durma sobre o ouvido operado;
  • ao tossir ou espirrar, mantenha a boca aberta;
  • procure o médico ao sentir qualquer incômodo na região.

Quais os riscos da mastoidectomia e como evitá-los?

Qualquer procedimento cirúrgico acarreta riscos — com a mastoidectomia, portanto, não é diferente. Descubra, agora, quais são eles!

Piora auditiva

Embora um dos objetivos da cirurgia seja proporcionar a melhora da audição, em alguns casos ocorre o contrário, — inclusive, há quem perca completamente a capacidade de ouvir. Por isso, é importante procurar um profissional altamente capacitado para realizar o procedimento.

Infecção

As infecções surgem ou por descuido do paciente ou porque o procedimento cirúrgico não foi suficiente para tratá-las. Nesse caso, é preciso recorrer aos remédios e aos curativos ou, até mesmo, passar novamente pela cirurgia, dependendo da recomendação médica.

Paralisia ou fraqueza muscular facial

São quase nulas as chances de o paciente sentir fraqueza ou paralisia dos músculos da face. Porém, como o nervo facial atravessa o interior do ouvido, há situações em que isso ocorre. A boa notícia é que o desconforto, em geral, é passageiro.

Tontura e zumbido

O zumbido é um dos sintomas das otites crônicas e pode persistir logo após a cirurgia. Ainda assim, é importante comunicar o médico para o correto acompanhamento. Já a tontura é rara e, geralmente, provisória.

Mudança no paladar

Alguns pacientes deixam de sentir o sabor dos alimentos ou queixam-se de que eles estão com o gosto metálico. Isso acontece quando há a manipulação do nervo do tímpano, o qual também tem função gustativa. Contudo, essa sensação é passageira.

Para evitar os riscos decorrentes do procedimento, é essencial seguir à risca os cuidados no pré e no pós-operatório. Além disso, a orientação é procurar por uma clínica renomada e de confiança, cujos profissionais tenham a experiência e o know-how necessários para atender o paciente com o melhor que a medicina oferece.

E então, aprendeu o que é mastoidectomia, como é feita e os cuidados necessários para o sucesso da cirurgia? Por fim, lembre-se de que a qualquer sinal de incômodo nos ouvidos, é preciso procurar o médico de imediato para investigar o problema e tratá-lo o mais rápido possível, combinado?

Já tinha ouvido falar na mastoidectomia? Você passou ou conhece alguém que tenha passado por esse procedimento cirúrgico? Que tal nos contar sobre a experiência? Fique à vontade para comentar a respeito do assunto!

Powered by Rock Convert

Compartilhe !

WhatsApp Agendar consulta