Otorrino Paulista

Entenda a diferença da sinusite crônica para a sinusite aguda

Você sabe qual é a diferença da sinusite crônica para a aguda? Independentemente do tipo, a inflamação resultante tende a ser extremamente incômoda e causar dores. Porém, ela é tratável e controlável por meio da ajuda profissional. Entender seus sintomas, causas e tratamentos é importante para identificar e auxiliar nos cuidados com o quadro.

Portanto, se você deseja saber mais sobre o processo inflamatório da sinusite e compreender a diferença entre aguda e crônica, não deixe de prosseguir com sua leitura!

O que é sinusite?

A sinusite é a inflamação da mucosa que reveste os seios da face. Também conhecida como rinossinusite por alguns especialistas, ela pode ter fundo alérgico, ser adquirida por meio de infecção viral ou bacteriana. O último caso é mais raro que os outros. Os seios da face cumprem uma série de funções:

  • aquecer o ar que é inspirado;
  • fazer ressonar a voz;
  • facilitar a sustentação do crânio pela cabeça;
  • diminuir o peso do crânio etc.

Seu revestimento, a mucosa, também executa alguns papéis:

  • produzir muco;
  • utilizar de cílios com movimentos vibráteis para direcionar corpos estranhos;
  • depositar o que é retido na parte posterior do nariz, para que seja eliminado.

Em suma, tanto os seios da face quanto a mucosa que os reveste são fundamentais para o corpo. Quando há uma inflamação na área, além de prejudicar seu correto funcionamento, incômodos diversos devem ser percebidos. Saiba quais são eles.

Sintomas

Assim como é dito em relação a qualquer doença ou quadro inflamatório, os sintomas variam de pessoa para pessoa. Contudo, os principais sintomas gerais da inflamação, seja a do tipo agudo, seja a sinusite crônica, incluem:

  • dor de cabeça;
  • sensação de pressão, pontadas ou pulsos na região entre os olhos ou cabeça;
  • obstrução nasal;
  • respiração dificultada;
  • secreção esverdeada ou amarelada;
  • tosse;
  • coriza;
  • cansaço;
  • presença de sangue;
  • dores musculares e até mesmo perda de apetite.

Em alguns casos, observa-se a presença de tontura. Ela acontece em função da proximidade dos ouvidos e da cavidade nasal. Além dessa proximidade, a sensação pode ser advinda de uma infecção, pois é possível que a sinusite leve a um desiquilíbrio do labirinto. Entretanto, esse não é um sintoma tão comum quanto os descritos acima.

A grande maioria dos sintomas citados se relacionam às tentativas de defesa naturais do corpo. Cada organismo tem um mecanismo específico, ou seja, há variação de um indivíduo para outro. O nome do principal sistema relacionado à proteção é sistema imunológico. Ao consultar profissionais a fim de tratar um quadro de inflamação, é possível e recomendado pedir sugestões que fortaleçam o seu.

É interessante ter em mente, também, que uma vez que existe a sinusite crônica e a aguda, os sintomas são os mesmos, mas variam em intensidade. No caso da crônica, a tosse parece se destacar — em especial de noite. Isso acontece uma vez que a pessoa deitada tende a acumular secreção na parte posterior da fossa nasal, irritando as vias aéreas.

Causas

Por ser causada tanto por alergias (como por meio de um surto de rinite alérgica) quanto por vírus e bactérias, as causas da sinusite se dividem. É a análise da especificidade e intensidade dos sintomas, feita pelo médico otorrinolaringologista, que define a origem da inflamação. A partir dessa observação, o tratamento ideal será recomendado.

Contudo, em geral, uma das causas comuns relacionadas à inflamação é o clima. Dias secos, ou seja, com pouca umidade do ar, favorecem o surgimento de problemas do trato respiratório. Isso resulta, muitas vezes, de um ressecamento nasal. Dessa forma, tanto a inflamação do revestimento dos seios da face quanto seu inchaço são percebidos e culminam na inflamação.

A depender da causa e do tipo, a duração do incômodo também tende a se alterar. A presença de sintomas varia de 3 dias a 3 meses. De forma geral, é o seu prolongamento que identifica se uma sinusite é considerada aguda ou crônica. Esses pontos serão explicados melhor em breve.

Tratamentos

Antibióticos, anti-inflamatórios, descongestionantes, nebulização e lavagens com soluções salinas são apenas alguns dos tratamentos recomendados para a sinusite crônica ou aguda. Tudo depende de sua causa. Os antibióticos são usados apenas em casos advindos de bactérias. Em casos mais graves, pode ser solicitada a drenagem do acúmulo de secreção.

O tratamento inadequado tende a gerar uma série de problemas. É por esse motivo que a automedicação é perigosa e extremamente desaconselhada, sendo fundamental buscar um profissional capaz de direcionar cada quadro da forma correta. Agora que você sabe que existem dois tipos de sinusite, vamos falar um pouco sobre cada um.

Sinusite aguda

A sinusite aguda é identificada por meio da duração de seus sintomas. Aqueles que permanecem por menos de 4 semanas são chamados de agudos. Em geral, eles ocorrem em função de alergias ou de baixa imunidade. Há, também, a sinusite aguda recorrente. É chamado assim o quadro que se desenvolve mais de 4 vezes em um ano — seus sintomas tendem a serem mais súbitos e intensos.

Sinusite crônica

A sinusite crônica, por sua vez, recebe esse nome quando o quadro dura além de 12 semanas. Em outras palavras, quando é persistente. Ele ocorre por diversos motivos, como uma sinusite aguda mal tratada. Alergias persistentes e bactérias mais resistentes também são relacionadas a esse tipo de inflamação, bem como os fungos. Para identificá-la, o especialista pode recomendar, além da análise clínica, raio-X, endoscopia nasal, exame de nasofibrolaringoscopia ou tomografia computadorizada.

Quais são as diferenças da sinusite crônica para a aguda?

Conforme visto, a principal diferença entre as duas é a intensidade dos sintomas e o tempo de duração. Assim que os primeiros sintomas forem percebidos, já é interessante buscar por um médico otorrino. Isso impede que haja piora e que dores ou incômodos ampliados surjam. Novamente, é fundamental ressaltar que a automedicação é perigosa e tende a gerar ainda mais problemas para o indivíduo, como um quadro de sinusite crônica.

Se você, ou um ente querido, está lidando com um ou mais dos sintomas descritos neste artigo, contate agora mesmo a Otorrino Paulista e receba amparo de um de nossos profissionais de alto gabarito, que cuidam de seus pacientes de forma humanizada e eficiente!

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?