Otorrino Paulista

Quais são os sintomas de sinusite? Confira aqui!

Basta uma queda na temperatura e o corpo reage. A sinusite é uma das doenças que costumam aparecer com mais intensidade em períodos frios. Isso acontece porque o clima fica mais seco e com pouca umidade, o que favorece o surgimento de problemas respiratórios, especialmente devido ao ressecamento da mucosa nasal.
Sabendo disso, conhecer os sintomas de sinusite pode ajudar tanto no cuidado quanto em um tratamento precoce. Portanto, que tal saber mais sobre o que é essa doença e suas particularidades? É só continuar a leitura!

O que é a sinusite?
É o nome dado à condição clínica caracterizada por uma inflamação ou inchaço do tecido/mucosa que reveste os seios da face. A função deles é drenar a secreção do nariz, olhos e ouvidos, além de diminuir o peso do crânio.

A inflamação da mucosa pode ser desencadeada por agentes infecciosos ou fatores alérgicos. Seja qual for a causa, a tendência é que haja a obstrução da abertura dos seios, causando o acúmulo de secreção. Na maioria dos casos, a sinusite surge logo após quadros de resfriados, gripes, alergias e baixa imunidade.

Sinusite aguda e sinusite crônica
Embora os dois tipos apresentem sinais e sintomas semelhantes, há algumas diferenças, especialmente no que diz respeito ao tempo de duração. Enquanto a sinusite aguda é uma infecção temporária, a crônica tem como característica um processo inflamatório mais demorado, podendo ser, inclusive, classificada como rinossinusite crônica com (ou sem) polipose.

A sinusite aguda pode durar até 4 semanas e, geralmente, é causada por vírus, crise de rinite ou determinadas bactérias. Os sintomas, de modo geral, são mais intensos, incluindo febre e dor em vários seios paranasais.

Já a sinusite crônica tem duração acima de 3 meses e, normalmente, é consequência de uma sinusite aguda tratada de forma incorreta. No entanto, pode ser causada também por bactérias mais resistentes, fungos ou uma alergia persistente. Quanto aos sintomas, podem incluir dor localizada em um seio da face ou a sensação de pressão na região, sem necessariamente proporcionar dor.

Quais são os sintomas de sinusite?
Se perguntarmos para qualquer pessoa que já vivenciou um quadro de sinusite quais foram os sintomas, a probabilidade de ela relatar dor e sensação de peso na região da face é imensa. Essa condição é consequência da obstrução dos seios paranasais, o que não permite a drenagem do muco produzido.

Outros sintomas possíveis são:

-espirros;
-coriza;
-dor de cabeça;
-sensação de pressão ao abaixar a cabeça;
-tosse (principalmente durante a noite);
-diminuição do paladar e do olfato;
-dor de ouvido;
-dor ao redor dos olhos.

Embora a febre seja um sintoma, ela é mais comum em casos de sinusites causadas por bactérias.

Quais os fatores de risco?
Como dissemos, a sinusite pode ser causada tanto por agentes infecciosos, como fungos, bactérias ou vírus, como por fatores alérgicos, que envolvem a predisposição genética e exposições à poeira, agentes químicos e outros alérgenos. No entanto, quem tem alterações na anatomia nasal ou nos seios da face tem mais chances de sofrer com o problema.

Outro fator de risco, embora mais raro, é a presença de um tumor na região. Em linhas gerais, em se tratando de sinusite crônica, as causas mais comuns incluem os pólipos nasais, que são um tecido que cresce patologicamente na área e que, quando muito grandes, podem bloquear a passagem de ar e impedir a devida drenagem.

O desvio de septo nasal também é bastante comum e ocorre quando a parede entre as narinas não está alinhada. Também não podemos deixar de considerar as doenças que afetam a imunidade, como o caso da AIDS, fibrose cística, refluxo e as que impedem que os cílios dos seios nasais se movam adequadamente, como a síndrome de Kartagener.

Como é feito o diagnóstico?
O diagnóstico deve ser feito por um otorrinolaringologista e costuma ser eminentemente clínico, com a devida avaliação dos sintomas da sinusite, das queixas do paciente e do seu histórico patológico e social. Além disso, ele procederá com a palpação dos seios nasais, para avaliar o grau de sensibilidade dessa região no momento.

Entretanto, o médico também pode realizar outros exames mais específicos para uma melhor avaliação. Um deles é a rinoscopia, uma análise visual feita com ajuda de um instrumento em formato de tubo, com o qual o especialista pode checar o aspecto não apenas das narinas, mas também do ouvido e da garganta.

Uma observação ainda mais detalhada é possível graças à nasofibroscopia, uma fibra ótica que pode ser introduzida no nariz, registrando em formato de vídeo o percurso pela cavidade nasal. A radiografia pode ajudar, mas, em termos de imagem, a tomografia da face é o exame mais solicitado, pois é mais preciso, sobretudo na suspeita de casos cirúrgicos.

Algumas alternativas existentes são a colheita da secreção nasal, na qual uma pequena amostra do muco é recolhida para ser enviada para um laboratório, que avaliará a presença ou não de micro-organismos, assim como o teste de alergia, que ajuda a identificar a possibilidade de haver alguma causa alérgica.

Como é feito o tratamento?
O tratamento da doença, normalmente, inclui o uso de analgésicos, sprays nasais, descongestionantes, corticoides orais ou antibióticos. No entanto, é fundamental que um médico especialista faça o diagnóstico e avalie a melhor opção de tratamento para cada caso.

Geralmente, esse diagnóstico é feito a partir da observação dos sintomas apresentados e também pela palpação dos seios nasais. Outros exames mais específicos podem ser solicitados, tais como a endoscopia nasal, tomografia computadorizada, coleta de secreções nasais ou mesmo um teste de alergia.

Quando a cirurgia para sinusite é uma boa opção?
A sinusectomia consiste na remoção das estruturas que impedem ou dificultam a drenagem dos seios da face. O objetivo do procedimento, portanto, é limpar a região, abrir as passagens bloqueadas e manter o tecido saudável de forma que o nariz e os seios nasais funcionem corretamente.

A cirurgia passa a ser uma boa opção quando o quadro não evolui positivamente mesmo após o tratamento com anti-inflamatórios e antibióticos. O mais comum é que isso aconteça em casos de sinusite crônica, causadas principalmente por problemas anatômicos, como estreitamento das cavidades orofaciais ou alteração do septo nasal.

Como é realizada?
Normalmente feita com anestesia geral, pode ser realizada de duas formas: com acesso direto, por meio de incisões na pele ou de acessos endonasais. Essa segunda opção é a mais comum e consiste em um procedimento sem cortes onde o cirurgião introduz o endoscópio nas narinas e remove o tecido ou osso que está obstruindo os canais. Além disso, por ter uma câmera na ponta, o instrumento permite que o médico visualize como está o interior do nariz.

A tecnologia endoscópica foi responsável por uma grande evolução na cirurgia da sinusite. Atualmente, além de ser um procedimento que não deixa cicatriz, apresenta uma rápida recuperação para os pacientes: entre 2 e 4 semanas.

Remédios caseiros ajudam a tratar?
Existem diversas opções caseiras, mas a verdade é que elas não têm exatamente uma função de tratamento. O que acontece é um alívio dos sintomas, efeito que pode ser importante para quem está sofrendo com os incômodos enquanto aguarda uma consulta com o médico. Veja quais são os principais remédios caseiros.

– Nebulização com eucalipto
A nebulização, de modo geral, é um importante tratamento para a sinusite, pois ajuda a umidificar as vias aéreas. A versão com eucalipto consiste em inspirar o vapor do chá dessa erva por aproximadamente 20 minutos.

– Água morna e sal
A limpeza do nariz com esses ingredientes faz com que a secreção presa nos seios nasais se dissolva, o que facilita a respiração e reduz o desconforto. A solução deve ser aplicada no nariz com um conta gotas 3 vezes ao dia e não pode ser engolida.

– Chá de camomila
É uma boa alternativa devido às propriedades da camomila: anti-inflamatória, analgésica e antisséptica. Em resumo: melhora a congestão e a inflamação da mucosa nasal.

– Inalação com cebola fervida
Auxilia no alívio dos sintomas devido às propriedades antivirais, antibacterianas e descongestionantes da cebola. Ou seja, essa inalação vai ajudar tanto a reduzir a inflamação quanto a esvaziar os seios nasais.

Qual é o médico que trata a sinusite?
Em teoria, todos os médicos são treinados e preparados para identificar os sintomas da sinusite. No entanto, na prática, sabemos que isso nem sempre acontece, uma vez que essa doença pode apresentar uma série de sinais e causas distintas. Por isso, o otorrinolaringologista é o profissional mais indicado para avaliar esse tipo de situação.

Ele não apenas é um especialista nas áreas afetadas por essa patologia, como também domina os exames necessários para identificar, com perfeição, o que está acontecendo com o paciente. Além disso, o otorrinolaringologista poderá propor o tratamento mais adequado para cada caso, aumentando as chances de um desfecho amplamente favorável.

Como conviver com a sinusite?
A união de tratamento médico e autocuidado é o segredo para conviver bem com a sinusite e, quem sabe, até curar a doença. Felizmente, existem vários cuidados que ajudam a diminuir os sintomas e evitar novas crises. São eles:

– manter uma alimentação saudável a fim de fortalecer o sistema imunológico;
– tratar alergias e infecções rapidamente;
– evitar mudanças bruscas de temperatura;
– identificar e evitar os gatilhos que provocam os sintomas (poeira na casa, por exemplo);
– inalar vapor para promover a limpeza das vias aéreas.

A rinossinusite é uma condição clínica que traz alguns prejuízos para a rotina, pois os sintomas costumam afetar a qualidade de vida de quem sofre com o problema. Justamente por isso, é importante conhecer quais os sintomas de sinusite, já que essa é uma forma de saber a quais sinais se deve ficar atento e, consequentemente, buscar ajuda médica o quanto antes.

Gostou deste post sobre sintomas de sinusite? Então nos acompanhe no Facebook para ficar por dentro de outros assuntos!

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?