Otorrino Paulista

Frenulectomia: descubra agora em quais casos essa remoção é indicada

A chamada língua presa e outros problemas que comprometem a fala e até mesmo a respiração têm origem em pregas de tecido situadas em regiões labiais e lingual. Porém a boa notícia é que eles podem ser solucionados por meio da frenulectomia.

Simples e rápido, esse procedimento é realizado em crianças e adultos, tanto para possibilitar a adaptação a aparelhos ortodônticos como por razões estéticas, entre outras. Um otorrinolaringologista será responsável por avaliar cada caso antes de indicar o método cirúrgico.

Neste post, entenda melhor o que é frenulectomia, quais os tipos, quando é indicada e os cuidados necessários após a cirurgia!

O que é frenulectomia e quais os tipos?

Frenulectomia é uma cirurgia realizada para a remoção de freios presentes na região da boca. Na maior parte dos casos, pregas de tecido fibroso precisam ser retiradas para impedir que prejudiquem a fala, a mastigação e até mesmo a respiração.

Existem dois tipos de frenulectomia, a labial e a lingual. Na primeira situação, os freios ou pregas estão localizados na linha mediana da boca (superior e inferior). Eles avançam até a gengiva frontal e podem ser vistos quando se levanta ou abaixa o lábio.

Por sua vez, a frenulectomia lingual consiste na retirada do freio situado embaixo do órgão responsável pelo paladar, o qual se estende até o soalho da boca. Quando a prega na região é muito curta, ela dificulta a fala, pois provoca o que popularmente chamamos de língua presa.

Como é feita a cirurgia?

Há duas formas de realizar a frenulectomia, ambas com anestesia local e quando feita nas crianças associa-se a sedação do paciente. Veja a seguir!

Cirurgia tradicional

Esse tipo de cirurgia requer o emprego de um bisturi, a fim de que sejam feitas aberturas para o corte ou a divisão do freio — o qual é retirado por completo ou parcialmente. Em seguida, é realizada a sutura dos tecidos moles com pontos absorvíveis ou não.

Cirurgia com bisturi elétrico

A frenulectomia pode ser realizada com o uso de um bisturi elétrico, cuja função é cortar a prega de tecido fibroso, além de promover a coagulação do local na mesma hora. Em geral, esse tipo de procedimento dispensa a sutura e diminui possíveis sangramentos nos tecidos moles.

Em quais casos a frenulectomia é indicada?

Confira, a seguir, em quais situações a frenulectomia precisa ser realizada!

Presença de diastema interincisivo

Quando o freio causa a separação dos dentes da frente dizemos que há um diastema interincisivo na região. Ele precisa ser removido para possibilitar o fechamento natural do espaço.

Alterações na fonética

Em geral, as alterações na pronúncia de palavras e nos sons que emitimos estão relacionadas a um diastema de grande proporção na área labial.

Mobilidade do lábio limitada

A baixa inserção do freio labial dificulta a mobilidade do lábio e, por conseguinte, compromete a articulação ao falar.

Interferência na adaptação a próteses e aparelhos

As pregas de tecido podem dificultar a adaptação a próteses dentárias e até mesmo o tratamento com aparelhos ortodônticos.

Razões estéticas

Muitas vezes, freios de grande dimensão ficam expostos quando o paciente sorri, o que gera desconforto e insatisfação. Um consultório de especialidade deve ser procurado para sanar o problema.

Quais cuidados são necessários no pós-operatório?

Após a frenulectomia, é fundamental tomar alguns cuidados para a rápida recuperação. Sendo assim, preste atenção nas recomendações a seguir!

  • jamais descuide da higiene bucal. A área cirúrgica deve ser higienizada com escovas de cerdas bastante suaves. Bochechos com antissépticos são indicados após a escovação;

  • evite os alimentos quentes e duros. Em vez disso, escolha alternativas geladas e de fácil ingestão, como iogurtes e purês;

  • tome a medicação receitada pelo médico nos horários e período certos.

Por fim, saiba que a frenulectomia é realizada pelo otorrinolaringologista. Tomadas as devidas precauções, o paciente pode voltar às suas atividades no mesmo dia da cirurgia.

E então, as informações deste post foram relevantes para você? Para continuar em dia com sua saúde, descubra, agora, qual a relação entre refluxo e dor de garganta!

 

Compartilhe !

WhatsApp Agendar consulta