Otorrino Paulista

Caseum amigdaliano: o que são as bolinhas que saem da garganta?

Você já ouviu falar no caseum amigdaliano? São bolinhas esbranquiçadas ou amareladas localizadas nas amígdalas, mais precisamente nas criptas amigdalianas. Elas se desprendem quando a pessoa tosse, espirra, engole a saliva ou comprime a região. O tamanho e a quantidade dessas bolinhas variam, e nem sempre elas surgem nas duas amígdalas.

Na verdade, trata-se de uma placa bacteriana mais espessa, pegajosa e compacta. Portanto, o caseum amigdaliano é formado por microrganismos, restos de alimentos, células descamadas da mucosa bucal e proteínas presentes na saliva. Muitas vezes, eles são eliminados sem que a pessoa perceba, já que são engolidos.

Porém, quando são sentidos soltos na boca, o melhor a fazer é expeli-los sem espremê-los. É que essas bolinhas têm o odor malcheiroso e bastante forte, daqueles que ficam impregnados. De acordo com estudo publicado na Oral and Maxillofacial Radiology (Kim et al., 2018), caseum foi diagnosticado em 30,3% de 3.886 pacientes examinados.

Neste post, vamos explicar quais são as causas, os sintomas e o que fazer se você notar a presença de caseum amigdaliano em sua boca. Confira!

Por que o caseum amigdaliano surge?

O caseum amigdaliano surge por diferentes motivos. São eles!

Má higienização bucal

A falta de escovação dos dentes e higienização bucal regulares, incluindo a limpeza adequada da língua, favorece a alta concentração de bactérias na boca, as quais podem causar doenças como gengivite, cárie e, ainda, o aparecimento de caseum amigdaliano.

Alterações salivares

A quantidade e a qualidade da saliva são importantes para auxiliar na autolimpeza da nossa boca. Quando há um fluxo salivar menor ou ineficiente (mais viscoso), o risco de formação de caseum aumenta. Aliás, determinados medicamentos — para depressão e hipertensão, por exemplo — deixam a boca seca, favorecendo o aumento de bactérias e o surgimento das indesejadas bolinhas.

Criptas amigdalianas profundas

As criptas amigdalianas são pequenas cavidades nas amígdalas. Quando elas são muito profundas, contribuem para a formação e o acúmulo de matéria orgânica, ou seja, de cáseos.

Alergias

Doenças alérgicas, como sinusite e rinite, resultam na concentração de muco, que normalmente escorre pela garganta. Acontece que a secreção também pode ficar presa nas amígdalas, condição propícia para o aparecimento de caseum amigdaliano.

Além disso, a presença de caseum na boca está relacionada a infecções como amigdalites e faringites, doença periodontal e saburra lingual.

Quais são os sintomas dos cáseos?

Os principais sintomas do caseum amigdaliano são os seguintes:

  • mau hálito;
  • dor de garganta;
  • dificuldade para engolir;
  • presença de bolinhas amareladas ou esbranquiçadas nas amígdalas;
  • inchaço nas amígdalas;
  • dor de ouvido;
  • alteração do paladar;
  • boca seca;
  • sensação de algo parado na garganta.

O que fazer para remover as bolinhas?

A boa notícia é que o caseum amigdaliano não representa perigo. Porém, dado os sintomas desconfortáveis que geram, o ideal é procurar o médico para removê-los de forma mecânica. Para evitar novas formações, é possível realizar cauterização com laser, diminuindo assim as criptas amigdalianas.

A cirurgia de remoção das amígdalas (amigdalectomia) só é indicada nos casos em que os demais tratamentos e métodos preventivos não surtem o efeito desejado. Algumas dicas para combater o surgimento de novos cáseos são as seguintes:

  • beber bastante água diariamente para ajudar na autolimpeza bucal, além de manter o corpo hidratado;
  • fazer gargarejos com água morna e sal todos os dias;
  • ingerir frutas com propriedades adstringentes, como maçã, abacaxi e limão;
  • evitar alimentos que deixam a saliva mais densa e viscosa, como álcool e café;
  • utilizar salivas artificiais, caso tenha problema de boca seca.

Entendeu tudo sobre o caseum amigdaliano? Se eles aparecerem em sua boca, procure o médico otorrinolaringologista de imediato. Esse é o profissional mais indicado para realizar o diagnóstico e recomendar o tratamento correto. E lembre-se de tomar os cuidados necessários para manter a sua saúde sempre em dia, combinado?

Agora que você já se inteirou sobre o caseum amigdaliano, que tal aproveitar a visita para se informar ainda mais? Descubra o que é adenoide e os problemas relacionados!

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?