Otorrino Paulista

Rinite alérgica: tire suas principais dúvidas sobre o tema

Os pelos dos animais domésticos provocam espirros em você? Basta sentir o cheiro de perfume que o nariz começa a escorrer? O contato com bichos de pelúcia fazem os seus olhos lacrimejarem? É isso que acontece com quem tem rinite alérgica, problema que afeta tanto as crianças como os adultos.

Para se livrar dele, é preciso criar hábitos que impeçam o contato com as substâncias causadoras da alergia. Em um momento de crise, contudo, apenas o médico poderá auxiliar o paciente no controle e na melhora do quadro.

Neste post, entenda o que é rinite alérgica, os sintomas, as causas, como é feito o diagnóstico e as formas de tratamento. Acompanhe!

O que é rinite alérgica?

A rinite alérgica é uma reação excessiva do sistema imunológico ao entrar em contato com substâncias conhecidas como alérgenos. Tal quadro é uma tentativa de defesa do organismo contra determinadas partículas causadoras da alergia.

Os alérgenos chegam até nosso organismo carregados pelo ar, sendo o nariz a sua porta de entrada. Quem tem rinite não consegue tolerar tais substâncias, que provocam uma série de incômodos à região nasal: coceira, obstrução e espirros são as reações mais comuns. 

É importante deixar claro que nem toda rinite é alérgica. A inflamação no nariz pode ser causada também por infecções virais e bacterianas ou por conta do uso descontrolado de descongestionantes nasais.

Quais os principais sintomas da rinite?

A rinite alérgica provoca irritação no nariz e em regiões como os olhos, a garganta, a boca ou até mesmo a pele. Além disso, esse tipo de alergia desencadeia espirros, coriza e lacrimejamento ocular.

Há, contudo, outros sintomas da rinite que podem surgir ao longo de horas após o contato com os alérgenos. São eles: dor de garganta e cabeça, cansaço, tosse, inchaço nos olhos, olheiras, congestão nasal e redução da capacidade olfativa e auditiva.

Quais as causas da alergia?

A poeira — inclusive a doméstica — está entre as principais causas da rinite alérgica. Ela é formada por bactérias, ácaros, fungos, restos de pelos de animais e até mesmo descamação de pele humana.

Além disso, a rinite pode ser sazonal. Nesse caso, a reação é desencadeada quando o indivíduo alérgico entra em contato com o pólen, grãos minúsculos produzidos pelas flores etc.

O pólen é carregado pelo ar em maior quantidade durante a primavera e no começo do outono, período no qual determinadas pessoas, quando expostas a esse tipo de alérgeno, sofrem com os sintomas da inflamação nasal.

Fator genético

Filhos cujos pais sofrem de rinite alérgica têm 50% de chance de apresentar o mesmo problema. Em geral, os sintomas aparecem já nos primeiros anos de vida. Mas há casos de pessoas que se tornam sensíveis aos alérgenos apenas na fase adulta, quando passam a não mais tolerar determinadas substâncias.

Alimentos

Apesar de incomum, os alimentos também podem provocar a rinite alérgica em determinados indivíduos. Aliás, eles atacam também a pele e o intestino de pessoas alérgicas, entre outras partes do organismo ou do corpo.

Mas é bom lembrar que nem todos os alérgicos têm reação ao ingeri-los. Ciente disso, confira a lista de alguns alimentos que podem causar a alergia!

  • ovo;
  • soja;
  • pimenta;
  • leite de vaca;
  • trigos e cereais;
  • frutas como melancia e laranja, além de verduras e leguminosas (devido ao pólen na composição);
  • bebidas alcoólicas;
  • conservantes e saborizantes;
  • crustáceos;
  • peixe.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da rinite alérgica começa com o relato do paciente acerca dos sintomas. Essa primeira etapa ajuda muito o médico a identificar o tipo de infecção e o agente causador.

Se você sofre com o problema e sabe exatamente o que provoca as crises — o cheiro de perfume, por exemplo —, é fundamental informar ao otorrinolaringologista assim que chegar ao consultório.

Dito isso, saiba quais são as práticas médicas para diagnosticar a rinite!

Teste cutâneo

O teste realizado na pele pode mostrar quais são os alérgenos responsáveis por provocar a reação exagerada, como coriza e espirros. Esse é o método mais recorrente empregado pelos médicos. É também o mais eficaz.

Exame de sangue

Os exames de sangue especiais são recomendados aos pacientes que não podem realizar o teste cutâneo, uma vez que reagem mal a esse método. Dessa forma, é possível identificar os níveis de substâncias que estão associadas à rinite. O médico poderá solicitar ainda um hemograma completo para um diagnóstico preciso.

Como tratar a rinite alérgica?

O tratamento da rinite alérgica é feito com o uso de antialérgicos e descongestionantes nasais. Além disso, o médico pode recomendar a aplicação de corticosteróides no nariz. A medicação vai trazer alívios ao paciente ao impedir as crises ou enfraquecê-las.

Caso não haja melhora no quadro, a inflamação pode ser tratada com vacinas antialérgicas, que também são utilizadas em indivíduos cujo contato com as partículas causadoras da reação não pode ser evitado.

Nessa situação, são aplicadas injeções ou gotas sublinguais em doses controladas da substância alérgena até que o organismo do paciente se torne menos sensível ao componente presente no local que frequenta. A boa resposta ao tratamento pode dispensar o uso de remédios no decorrer do tempo.

É possível prevenir as crises?

A única maneira de prevenir as crises de rinite alérgica é impedir o contato com os alérgenos presentes no ar. Aliás, evitar a inalação de tais partículas é o tratamento mais eficaz contra esse tipo de inflamação nasal.

Sendo assim, confira a seguir dicas importantes para se livrar do problema!

  • mantenha limpos as roupas de cama, bem como os cobertores, as cortinas e os tapetes;
  • faça a lavagem nasal de acordo com recomendação médica;
  • utilize umidificadores no ambiente;
  • mantenha o ambiente limpo e ventilado;
  • deixe as janelas abertas diariamente para o sol entrar;
  • evite a limpeza com produtos químicos. Prefira apenas o pano úmido;
  • fique distante de determinados cheiros, como perfumes, tintas e fumaça;
  • bichos de pelúcia, cortinas e tapetes não devem fazer parte do quarto, uma vez que são fonte de ácaros e poeira.

Agora você sabe o que é rinite alérgica, quais as causas e os principais sintomas. Tal problema não tem cura, mas pode ser tratado. Portanto, não deixe de procurar um médico gabaritado e de confiança para evitar ou controlar as crises de alergia.

Este post foi útil para você? Aproveite que está por aqui e entre em contato com o Consultório Otorrino Paulista para ter acesso aos nossos excelentes serviços médicos!

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?