Confira 5 dicas para prevenir a rinite no frio

É só o tempo esfriar um pouco que começa aquela coceira na garganta, nariz entupido, espirros e coriza excessiva. Não são poucas as pessoas que sofrem com o desconforto que a rinite traz quando chega o inverno. O pior é que muitas vezes esses sintomas são ignorados e, se se estendem por muito tempo, trarão complicações maiores.

Para quem sofre de alergias, o inverno traz desafios para o controle da doença rinite. Nesta época do ano, como as pessoas alérgicas passam mais tempo em ambientes fechados para evitar o resfriado e o frio, e ficam expostas a diversas substâncias alérgicas, é preciso ter cuidado redobrado com fungos, ácaros, poeira, pelos e saliva de pets, bem como mofo e bolor.

Além disso, outros vilões da alergia não relaxam ao ar livre, como poluição do ar, resíduos de automóveis e até pólen. É importante notar que a rinite alérgica não é uma infecção, mas um processo inflamatório da alergia da mucosa nasal.

Sem falar que, como no inverno os riscos de infecção por gripe e Covid-19 aumentam, torna-se ainda mais importante saber diferenciar os sintomas da rinite que ataca no frio, da Covid e da gripe. Veja abaixo o porquê da rinite aumenta no inverno, quais os principais sintomas, as diferenças para outras doenças e como tratar esse problema.

Rinite ataca no frio: fatores perigosos

O outono e o inverno são os períodos mais secos do ano. A umidade relativa do ar pode ser inferior a 30% – muito inferior aos 50% ideais para a saúde humana considerados pela Organização Mundial da Saúde (OMS ). Outra característica dessas estações é a grande amplitude térmica, ou seja, existe uma grande diferença entre a temperatura mínima e máxima registrada no mesmo dia. Isso contribui muito para os sintomas de rinite.

Ácaros

A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) alerta que esses fatores, combinados com os ácaros em nossos ambientes que mais frequentamos – inclusive em nossas próprias casas-, podem causar problemas respiratórios, principalmente a desconfortável rinite. A rinite ataca no frio!

Inverno

As doenças respiratórias tendem a ser mais frequentes no inverno e incluem doenças infecciosas, como resfriado, gripe e sinusite. O contato com o ar frio e seco é irritante para a mucosa nasal e pode causar a coriza e obstrução nasal. Esse quadro pode ser ainda pior para quem tem rinite alérgica, já que a sua mucosa já está inflamada, de modo que a reação ao frio pode ser pior ainda.

Hábitos

Hábitos comuns nesse período tendem a aumentar a incidência de alergias respiratórias, como o uso de suéteres de lã que estão há muito tempo guardados no armário. Essas peças de roupa geralmente apresentam um odor que pode desencadear sintomas relacionados à doença rinite.

Temperatura

As mudanças repentinas na temperatura também podem levar a manifestações clínicas típicas de processos alérgicos. Por exemplo, ao acordar de manhã, a diferença entre a temperatura da cama quente e o ar frio do quarto ou do banheiro pode fazer com que alguns pacientes com rinite alérgica espirre muito, tenham congestão nasal ou coriza.

Além dos sintomas mais frequentes – como nariz tampado, coceira e coriza – uma pessoa com um quadro de rinite pode ter dor de cabeça e perda de olfato.

Tipos de rinite

A rinite é uma doença que pode ter várias causas, de modo que é um mito dizer que toda rinite é alérgica. Além de alérgica, a rinite pode ser irritativa, hormonal, medicamentosa ou infecciosa.

Por isso, antes de começar um tratamento, é preciso identificar o tipo de rinite. É importante dizer que a rinite alérgica não tem cura. Os outros tipos, entretanto, possuem cura e basta se afastar dos fatores irritantes – para tratar a irritativa -, tratar o quadro hormonal – para tratar a rinite hormonal – e evitar medicamentos – para se livrar da rinite medicamentosa.

Rinite sintomas: 5 dicas para evitar rinite alérgica

Muitas pessoas desejam um remédio para rinite, mas a melhor forma de evitar esse problema é a prevenção. No entanto, muitas vezes precisamos recorrer a algum medicamento, como antialérgicos, descongestionantes nasais, corticoides, vacinas para alergias e medicamentos de uso prolongado. Antes de tomar qualquer medicamento, consulte um otorrinolaringologista.

Para reduzir, ou mesmo prevenir os sintomas da rinite alérgica no inverno, veja essas dicas:

Hidratação

Mantenha sempre seu organismo hidratado, principalmente porque estações como o inverno são mais secas. Além de aumentar o consumo de água, é importante usar soro fisiológico para hidratar o nariz. É fundamental ingerir ao menos 2l de água por dia, para que todo o nosso corpo funcione corretamente.

Limpeza

A segunda dica é manter o ambiente sempre limpo para evitar o contato com ácaros e poeiras, algo essencial. Quando há poeira acumulada, as chances de fungos e outros organismos se desenvolverem (e causarem rinite) aumenta. E em um local úmido, isso se torna ainda mais evidente.

Umidade

Use umidificadores, evitando a secura do ambiente. No entanto, é importante ficar atento para o uso excessivo para evitar o surgimento de mofos no ambiente. Por isso, tenha uma rotina de limpeza, sobretudo, em lugares menos movimentados da casa, como porão e/ou quarto de hóspedes.

Roupa limpa

Lave as roupas de frio. Como vimos, muitas vezes, essas roupas ficam por muito tempo guardadas, acumulando ácaros e poeira. Procure colocá-las para secar em um ambiente ventilado, como o quintal e deixar a roupa exposta ao sol o máximo de tempo possível.

Ar

Por fim, é importante deixar o ar circular em sua casa pelo menos por um período do dia para ajudar a diminuir as crises de rinite. Fique agasalhado, mas não abra mão de deixar a casa com janelas e portas abertas.

Rinite ou sinusite?

Muitas vezes, a rinite é confundida com a sinusite, mas tratam-se de problemas distintos.

Rinite

Para entender as diferenças, é preciso levar em consideração que a rinite é uma inflamação que ocorre na membrana mucosa do nariz e pode ser causada por gripe ou alergias. Uma das principais causas das alergias é a poeira, pois o corpo entende que as partículas são estranhas e causarão inflamação das membranas mucosas.

Além da poeira, e do agravante causado pelo inverno, como falamos acima, são comuns também coceiras no nariz, coriza, obstrução nasal, espirros e dores de cabeça. Além da classificação abordada acima, existem dois tipos de rinite. A rinite aguda e a rinite crônica. A aguda pode durar de 7 a 10 dias, e a crônica pode durar mais de 3 meses.

Sinusite

A sinusite se refere à inflamação dos seios da face (cavidade óssea ao redor do nariz e das maçãs do rosto) e pode ser causada por bactérias, vírus ou fungos. Em muitos casos, a inflamação pode ser causada por rinite mal tratada.

Embora os sintomas da sinusite sejam semelhantes aos da rinite, a principal diferença é uma forte dor de cabeça na região da testa. Isso ocorre porque a passagem dos seios da face é bloqueada e impede a drenagem normal de fluidos e secreções. Como resultado, o tecido fica inchado e causa pressão e dor na área.

Assim como a rinite ataca no inverno, a sinusite geralmente também, quando o tempo é seco e úmido e por isso pode ser confundida com a sinusite. Procure, apesar do frio, deixar o ambiente com portas e janelas abertas de modo que o ar circule bem. Assim, diminui a proliferação de eventuais fungos/bactérias.

Rinite sintomas: rinite, gripe ou Covid-19?

Outro fator de confusão é causado pelos sintomas da gripe e da Covid-19. As doenças respiratórias podem apresentar um conjunto de sintomas muito semelhantes. Mas alguns sinais podem ajudar a distinguir doenças, verificando se é mesmo rinite ou somente uma confusão com outras doenças.

Covid-19

A Covid-19 é causada pelo vírus SARS-CoV-2, que pode causar uma variedade de manifestações clínicas. O Ministério da Saúde divide os casos em cinco níveis de acordo com a gravidade: assintomáticos, leves, moderados, graves e críticos.

Leve

Os sintomas mais comuns são tosse, dor de garganta ou coriza (parecido com a rinite). Em casos leves, podem ser acompanhados ou não de perda de olfato e paladar, diarreia, dor abdominal, febre, calafrios, dores musculares, fadiga e dor de cabeça.

Moderado

Pessoas com um quadro moderado podem apresentar tosse e febre persistentes, fadiga extrema, perda de apetite e diarreia. Já se diferencia da rinite aqui.

Grave

O caso grave é considerado quando há o desenvolvimento da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A SRAG apresenta sintomas como falta de ar, desconforto respiratório, pressão no peito e saturação de oxigênio menor que 95%.

Crítico

Por fim, o quadro crítico apresenta resposta inflamatória que se espalha pelo organismo, desconforto respiratório agudo e pneumonia grave.

Gripe

A gripe comum é causada por diferentes tipos de vírus. Existem vários subtipos de gripe. O mais famoso é o H1N1, que causou a pandemia de 2009. Com o surgimento de epidemias sazonais em várias regiões do mundo, essa doença se espalha principalmente no inverno.

Os principais sintomas são febre alta, tosse, dor de garganta, dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, diminuição do olfato e paladar, calafrios e fadiga. A duração dos sintomas é de aproximadamente 5-7 dias.

Quando a rinite ataca no frio, há um grande mal-estar mesmo. Não há coisa pior do que começar a ter sintomas de rinite. Não importa se há ou não há um remédio para rinite, não tem jeito: é preciso conviver com a rinite alérgica (pior ainda quando é rinite no frio.

Independente dos sintomas que você sentir, visite um médico, ele vai saber a melhor forma de te aconselhar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como posso te ajudar
Send via WhatsApp