Testes de Covid-19: Confira o que é mito e o que é verdade

A pandemia do novo coronavírus exigiu de governos e da sociedade em geral a tomada de ações para mitigar os impactos do vírus. Uma dessas ações, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), deve ser o rastreio e o controle da propagação do vírus por meio do uso de teste de Covid-19. Assim é possível identificar os contaminados e isolá-los, visando limitar a circulação do vírus. Confira os mitos e verdades sobre o assunto!

Afinal, como os teste de Covid-19 funcionam? Primeiro, temos que dizer que existem vários tipos de testes, cada um com um mecanismo de identificação diferente. Contudo, podemos dividir os testes de Covid-19 em dois grandes grupos que vamos explicar agora.

Diferença entre os testes de COVID-19

As diferenças entre os testes não se resumem apenas ao que eles identificam e que tipo de amostras eles utilizam para isso, os testes também têm indicações diferentes. Os testes sorológicos, como identificam apenas os anticorpos produzidos pelo corpo, não são tão recomendados para pessoas com sintomas recentes, pois o corpo pode não ter produzido os anticorpos suficientes ainda e o resultado pode ser um falso negativo.

Como o teste PCR identifica a presença do vírus nas amostras, ele costuma ser mais indicado para pessoas com sintomas ativos. Este tipo de teste de covid-19 é capaz de identificar o vírus mesmo que os sintomas sejam recentes e oferece um resultado mais preciso que os de testes sorológicos.

No caso de diagnóstico retrospectivo, para saber se uma pessoa já foi infectada pelo coronavírus, os testes sorológicos costumam ser mais indicados que os de tipo PCR. Exatamente por isso esses testes são utilizados amplamente por governos para medir a imunidade da população e analisar quanto da população já foi exposta ao novo vírus.

Portanto, conheça melhor como cada teste de covid-19 funciona:

Testes PCR

O teste de covid-19 PCR é o famoso “teste do cotonete”. Esse tipo de teste identifica a presença do vírus nas amostras colhidas da mucosa da garganta e vias aéreas superiores. É realizado em laboratórios ou em alguns hospitais e o resultado costuma demorar um pouco para sair, até dois dias para a maioria dos laboratórios privados.

Imagem de como é feita a extração das amostras no teste tipo PCR | Foto: Unsplash

Testes Sorológicos

Esses ficaram conhecidos como “testes rápidos” por conta da facilidade em entregar o resultado, que pode sair em minutos. Os testes sorológicos, em geral, não precisam ser realizados em laboratórios e, inclusive, algumas versões podem ser compradas em farmácias. Ao contrário dos testes de tipo PCR, os sorológicos identificam os anticorpos produzidos pelo corpo na luta contra a Covid-19 na amostra de sangue colhida.

A partir destes dois grupos que podemos dividir os testes de Covid-19, vamos entender melhor sobre quais os testes que podem ser feitos em cada um deles.

Como são feitos os testes moleculares (RT-PCR) para a COVID-19?

Mesmo com diversos tipos de testes de Covid-19 sendo feitos em hospitais, clínicas e farmácias, o teste molecular (RT-PCR) se mantém como o mais confiável para diagnosticar a presença do vírus que provoca a Covid.

Como ele trabalha de modo a identificar carga viral na pessoa que está sendo testada, é recomendado que seja feito na primeira semana de sintomas, no máximo até o sétimo dia. Esse prazo é solicitado porque o teste de covid-19 PCR vai detectar o RNA da SARS-CoV-2 no momento da maior carga viral, que é exatamente nesses dias.

Como explicamos anteriormente, o “cotonete” ou swab coleta secreção respiratória das cavidades nasais e orais e tem 90% de chance de confiabilidade quanto feito no prazo exigido de sintomas.

Caso o teste de Covid-19 dê positivo, o paciente deve ser isolado por pelo menos sete dias, conforme última atualização do Ministério da Saúde. Também é recomendado o acompanhamento médico para medicação para redução de sintomas prescritos por um profissional de sua confiança.

Lembre-se que remédios que pretendem evitar o contágio do coronavírus não são aprovados pela Organização Mundial da Saúde e que a melhor forma de prevenção da Covid-19 ainda é o isolamento social, vacinação completa, e uso de álcool em gel e máscaras.

Se você suspeita que está com coronavírus e precisa ir até o estabelecimento que faça testagens em segurança tanto para você quanto para outros. Neste caso, dê preferência a máscaras que cubram bem seu rosto, tanto nariz, quanto boca. Máscaras N95 ou PFF2 são muito indicadas para situações mais extremas.

Mitos e verdades sobre o teste de COVID-19

A pandemia e o acúmulo de informações geradas por conta dela acabam deixando algumas pessoas confusas, o que vira um terreno fértil para a criação de fake news, que infelizmente têm marcado este período que estamos vivendo. Então, iremos desmentir alguns dos mitos mais comuns acerca dos testes.

A procura por testes de Covid-19 disparou com as festas de ano-novo | Foto: Unsplash

Qualquer pessoa pode aplicar o teste de Covid-19?

Os testes para detecção da Covid-19 devem ser aplicados por profissionais especializados. De acordo com a Anvisa, até mesmo os testes sorológicos (rápidos) só devem ser aplicados por indivíduos qualificados e habilitados para interpretar os resultados.

Fiz o teste deu negativo, posso me despreocupar?

Não, principalmente se está com sintomas gripais. O resultado pode ter sido um falso negativo, em especial se o tipo de teste realizado foi o sorológico, o que pode significar a necessidade de refazer o teste dias depois. Tudo deve ser analisado junto ao seu médico, mas o ideal é continuar isolado.

Resultado negativo é passaporte para viagens e festas

Por conta das festas de fim de ano, muitas pessoas buscaram por testes como uma espécie de segurança ou justificativa para gerar aglomerações. Contudo, é importante esclarecer que possuir um resultado negativo apenas significa que naquele momento você não está com o vírus (excluindo um possível falso negativo) e ainda pode se contaminar por outras pessoas. Portanto, um resultado negativo não é justificativa para participar ou gerar aglomerações.

Posso confiar 100% em um teste rápido?

Enquanto o teste de covid-19 PCR verifica a carga viral no paciente, os testes rápidos de coronavírus avaliam se a pessoa tem anticorpos contra a Covid. Caso positivo, significa que ela está contaminada porque a presença do vírus gera anticorpos.

Dessa forma, os testes PCR acabam sendo mais confiáveis pelos seus resultados uma vez que os anticorpos demoram cerca de nove dias para aparecer. Portanto, é possível que uma pessoa esteja com Covid-19, faça o teste rápido, mas ele dê negativo pela quantidade de dias que esses anticorpos demoram para manifestar-se.

Caso você só tenha a opção de fazer o teste rápido, a Anvisa recomenda que seja feito no 10º dia de sintoma, para que seu resultado seja mais exato.

Muitas vezes as pessoas podem dar preferência ao teste rápido pela velocidade de seu resultado quando comparado ao PCR. No entanto, o teste rápido ganha em velocidade, mas perde em certeza e confiabilidade.

Procure um especialista

Se você apresentou sintomas gripais e acredita ser Covid-19 o melhor a se fazer é procurar um especialista. Casos graves devem procurar um hospital imediatamente. Casos leves podem procurar um clínico geral ou otorrino, médico especialista em diagnosticar doenças do nariz, ouvido e garganta, que indicará o melhor tratamento. Se você está procurando teste de covid onde fazer, também pode contar com a gente!

A clínica Otorrino Paulista possui profissionais altamente qualificados que podem te ajudar com o tratamento e suas consultas podem, inclusive, ser feitas de maneiras remotas através da telemedicina. Consulte mais informações sobre o teste de Covid-19 no site ou entre em contato pelo WhatsApp: (11) 99142-2342.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Como posso te ajudar
Enviar WhatsApp