Mitos e verdades sobre o desvio de septo

Segundo a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial, 85% da população brasileira apresenta desvio de septo em diferentes graus. Esse problema comum possui diversas causas, e pode causar dificuldades na respiração do paciente. “O que é desvio de septo e como saber se tenho desvio de septo?”, a resposta à sua pergunta está neste texto. Confira agora!

O que é desvio de septo?

O septo nasal é uma parede de ossos e de cartilagem, que separa as narinas. Uma pessoa com desvio de septo não tem o septo centralizado no nariz, dificultando que as funções do nariz sejam realizadas e alterando o formato externo do nariz. Essa condição pode gerar obstrução nasal, fazendo com que o paciente tenha a sensação de nariz entupido, levando-o a respirar pela boca, deixando a garganta dolorida e seca.

O desvio de septo pode gerar problemas de sono, como dificuldade de adormecer, roncos, apneia, sono fragmentado e de má qualidade, irritação e cansaço contínuo. Dificuldade no olfato, repetidas sinusites e dores de cabeça também podem ser consequências da doença. O desvio também pode dificultar a realização de atividades físicas. A condição pode ser corrigida a partir da realização de uma cirurgia chamada septoplastia.

Mitos e verdades sobre o desvio de septo

Agora que você sabe mais sobre o que é o desvio de septo nasal, veja alguns mitos e verdade sobre a condição comum entre os brasileiros e tire suas dúvidas sobre o assunto.

O crescimento da face pode ser a causa do desvio de septo

Verdade. Até o período da adolescência, o osso ou a cartilagem que formam o septo podem crescer rapidamente, desviando o septo. Além desse crescimento excessivo, a condição pode ter outras causas como traumas causados por esportes, por acidentes em veículos ou por quedas, alterações no trabalho de parto, distúrbios antes do nascimento ou revelado na infância, inflamações, infecções ou alergias crônicas. Assim, esta pode ser uma causa de desvio de septo.

O paciente pode ser assintomático

Verdade. Você pode passar muito tempo sem saber que tem desvio de septo, e descobrir apenas depois de casos de resfriados ou outros desconfortos nas vias respiratórias. Os sintomas dependem do grau de desvio de cada pessoa. Por outro lado, se você apresenta dificuldade respiratória, respira pela boca ou tem ronco noturno, esses podem ser sintomas do desvio. Sinusites de repetição também podem ser desencadeadas pelo desvio de septo.

Pessoas com essa condição também podem apresentar hemorragias nasais, já que a mudança no fluxo de ar devido ao deslocamento do septo pode romper pequenos vasos sanguíneos. De qualquer forma, se apresentar algum desses sintomas, o recomendado é ir em uma consulta com o otorrinolaringologista para que ele faça o diagnóstico correto do que pode ser desvio de septo.

Quem tem desvio de septo tem o nariz torto

Mito. Como vimos, algumas pessoas com desvio de septo não apresentam sintomas. Outros pacientes podem apresentar uma alteração no formato externo do nariz, mas essa característica não é exclusiva do desvio de septo. O nariz pode ficar torto devido outros fatores, e é preciso um diagnóstico do otorrinolaringologista para aferir se o paciente possui desvio de septo.

A cirurgia é obrigatória para quem tem desvio de septo

Mito. A intervenção cirúrgica vai ser indicada pelo otorrinolaringologista de acordo com o grau do desvio de septo. A cirurgia é indicada para aqueles que possuem dificuldades na respiração devido à dificuldade da passagem de ar pelas vias respiratórias ou para aqueles que têm sinusite recorrente. A cirurgia é chamada de septoplastia, e corrige a deformidade anatômica do septo. O valor da operação depende do grau do desvio de septo. Entre em contato com a Otorrino Paulista e saiba mais!

Existem outros tratamentos que aliviam os sintomas do desvio de septo. Podem ser indicados medicamentos ou remédios que melhoram a respiração do paciente, como corticóides, anti-histamínicos e descongestionantes nasais. Além deles, a pessoa pode realizar limpezas nasais, utilizando soro fisiológico ou água destilada com carbonato de sódio.

A septoplastia é complexa e deixa cicatriz

Mito. A cirurgia para correção do desvio de septo nasal exige internação e anestesia geral, mas é um procedimento tranquilo. A cirurgia é realizada por dentro do nariz por meio de vídeo endoscopia, ou seja, com o auxílio de endoscópios. Normalmente, o paciente recebe alta do hospital no dia seguinte e tem recuperação total entre três semanas e um mês. Como a incisão é interna, o paciente não fica com cicatrizes do procedimento, e nem é preciso usar tampões nasais depois da operação.

A cirurgia só é feita em adultos

Mito. Dependendo da indicação do médico especialista, a septoplastia pode ser feita em qualquer idade. É recomendado que a cirurgia seja feita depois do fim da adolescência, que é quando o crescimento para e o osso nasal está definido. Já algumas crianças com desvio de septo grave, que apresentam grandes dificuldades respiratórias ou risco de deformidade facial, podem ser submetidas à septoplastia. Esses casos, no entanto, não são comuns.

O desvio de septo pode voltar depois da cirurgia

Verdade. Isso pode acontecer nos casos que citamos em que crianças realizam a septoplastia. Como o desenvolvimento facial e o crescimento do osso e da cartilagem do septo delas ainda não foram finalizados, ele pode continuar crescendo e se desenvolver com desvio novamente. As chances de o desvio de septo nasal voltar e o paciente ter que realizar novamente a cirurgia é grande.

O pós-operatório e o acompanhamento médico depois da operação são fundamentais

Verdade. Depois da septoplastia, a região operada sangra com facilidade, já que os vasos sanguíneos das narinas podem se romper enquanto cicatrizam, causando hemorragias. É preciso, então, respeitar o pós-operatório, repousando e evitando esforços físicos. Isso deve ser seguido, além de evitar altas temperaturas e exposição ao sol. Por esse motivo, a cirurgia de desvio de septo é recomendada no inverno, pois as baixas temperaturas tornam o pós-cirúrgico mais cômodo.

Além disso, o acompanhamento médico nos anos seguintes também é essencial. Os pacientes, principalmente os que têm rinite, precisam fazer manutenção do nariz e cuidar da mucosa. A rinite sempre pode atacar novamente, gerando irritações e inflamações que trazem desconforto ao paciente. Por isso, o otorrinolaringologista deve ser consultado mesmo depois da cirurgia para correção do desvio de septo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como posso te ajudar
Send via WhatsApp