Otorrino Paulista

Coronavírus ou gripe: Descubra as principais diferenças

Muitas pessoas podem confundir facilmente uma gripe comum com o novo coronavírus.

Isso ocorre porque os sintomas são parecidos, principalmente em casos mais leves. Caso exista dúvida, é importante obter o diagnóstico por meio de exame médico, porém alguns pontos sutis podem ajudar a distinguir os dois. Descubra as principais diferenças a seguir, a partir das instruções da clínica médica Otorrino Paulista, especializada em Otorrinolaringologia.

Coronavírus ou gripe?

O primeiro surto de coronavírus atingiu a China em dezembro de 2019 e em pouco tempo se espalhou pelo mundo. O vírus costuma provocar doenças respiratórias em níveis leves, moderados e até mais graves. Nos casos mais acentuados, a enfermidade pode acarretar Síndrome Gripal (SG) com problemas respiratórios agudos, como é o caso da Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) e da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS).

Segundo o Ministério da Saúde, os sintomas mais comuns da Covid-19 são: febre, tosse seca, perda de olfato, alteração no paladar e cansaço. Este último pode ser observado em situações comuns do dia a dia como fadiga extrema ao tomar banho ou fazer alguma tarefa doméstica simples. Contudo, outros pacientes indicaram congestão nasal, coriza, dor de garganta, dor de cabeça, dificuldade de respirar e diarreia. A principal forma de contrair a doença é por meio do contato com outras pessoas contaminadas, através de toque físico, superfícies infectadas ou gotículas carregada de vírus que atingem as mucosas do nariz, boca e olhos.

No caso da gripe, conforme indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), os sintomas mais comuns são: tosse, febre, congestão nasal, coriza e dor de cabeça, geralmente acompanhada de dores no corpo. Com uma duração entre três e cinco dias, é proveniente do vírus Influenza e possui o tipo A, H1N1, e tipo B, Yamagata. No caso de gripe, os sintomas são mais brandos e a incubação mais curta.

Ambas as doenças, o novo coronavírus e a gripe, podem ser desenvolvidas a partir do contato com pessoas infectadas. É justamente no contágio que está a maior diferença e preocupação dos cientistas e profissionais da saúde. De acordo com a OMS, a taxa básica de reprodução no coronavírus, chamada de R0 pelos especialistas, varia entre 2 e 3, enquanto a gripe atinge a marca de 1,2. Contudo, outras pesquisas científicas indicaram um grau de aproximadamente 6 para R0 da Sars-Cov-2. Ou seja, em média, cada portador do novo coronavírus, seja assintomático ou sintomático, pode transmitir o vírus para duas e/ou até seis pessoas. Em relação à gripe, esse índice cai para uma pessoa.

Em caso de um possível contágio pela Covid-19, o Ministério da Saúde orienta a busca imediata de um posto de triagem nas unidades de saúde e atenção redobrada às medidas de prevenção, principalmente distanciamento social de pessoas do grupo de risco – idosos e doentes crônicos.

Diferentes vacinas estão em fase de teste e com comercialização prevista para 2021. Enquanto isso, é importante manter-se bem informado sobre os riscos de contágio e garantir os cuidados necessários para preservar a saúde – distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos com sabão e/ou álcool 70%.

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?