Otorrino Paulista

Conheça as principais doenças de inverno e como evitá-las

Com a chegada do inverno, aumentam os riscos de doenças respiratórias transmissíveis, como a gripe. Isso ocorre principalmente pela mudança climática e baixa umidade do ar, sendo que o organismo consequentemente torna-se mais frágil, com maiores chances de contrair essas doenças. Os problemas respiratórios são os mais comuns. Assim, todos esses gatilhos citados acima influenciam na saúde.

Entender quais são as principais doenças do inverno, quais sintomas apresentam e como evitá-las é essencial para sua qualidade de vida. Afinal, alguns cuidados simples podem ajudar na prevenção, diminuindo as chances do desenvolvimento delas.

Se você tem interesse em conhecer quais são as doenças de inverno e como é possível evitar que elas surjam, continue a leitura do post!

Resfriados e gripes

Os resfriados são infecções mais brandas do que a gripe, sendo que o indivíduo apresenta sintomas, como coriza, espirros e dor de garganta. Geralmente, o tempo de duração é em torno de 3 a 5 dias e não causa outros problemas decorrentes do vírus.

Já a gripe é bastante similar ao resfriado, mas com sintomas mais acentuados e persistentes. Consistem na infecção das vias respiratórias superiores e pode causar febre igual ou superior a 37,8ºC. Além disso, também há sinais de coriza, dores no corpo, tosse e secreção nasal.

Tanto o resfriado quanto a gripe tem origem viral e são transmitidos por meio de saliva ou secreção nasal, por exemplo. No inverno é bastante comum ter um número maior de pessoas gripadas ou resfriadas, justamente porque as condições climáticas contribuem para a proliferação desses vírus.

Rinite alérgica

A rinite alérgica também é outro problema que surge frequentemente no inverno. Trata-se de uma inflamação nas mucosas do nariz que podem ser impulsionada por causa de ácaros, poeira, pólen e outros agentes. Assim, os sintomas são espirros, coceira no nariz e também coriza.

O período de duração varia e em alguns casos é observado por vários dias. Dessa maneira, é importante que a pessoa busque identificar quais são as causas principais da rinite alérgica. Por ser um problema crônico, o ideal é consultar um médico especialista que recomenda algum medicamento ou tratamentos que aliviam os sintomas, além de evitar o contato com substâncias que desencadeiam a alergia.

Asma

A asma é uma inflamação crônica das vias aéreas e ocorre pelo contato com agentes que causam irritação nos brônquios, diminuindo a passagem de ar. Os fatores que estimulam uma crise de asma são diversos, como frio, mofo e poeira.

Os principais sinais da asma são tosse, dificuldade para respirar e chiados no peito. O problema é crônico, por isso, é necessário que haja um controle da doença para evitar que os sintomas apareçam frequentemente, levando a um caso mais sério e com possíveis complicações.

Assim, é essencial conversar com um médico especialista para realizar uma análise clínica e, a partir disso, entender qual é o método mais adequado.

Como visto, o frio e a queda brusca de temperatura são fatores que impulsionam o agravamento da asma. Logo, se a doença não estiver controlada, as crises se tornam mais frequentes.

O tratamento envolve o uso de medicamentos que reduzem a inflamação dos brônquios e ajudam a evitar novas crises. Apesar de não ter cura, é possível ter uma rotina normal e conviver com o problema com a prevenção e controle.

Otite

Otite é a infecção do ouvido médio e costuma ser constante principalmente nas crianças, que são mais propensas a desenvolverem o problema. Ocorre por causa de vírus e bactérias, causando dores no ouvido, secreção, dor, cabeça e outros sintomas.

Os fatores de riscos incluem problemas respiratórios, resfriados ou gripes e até mesmo a idade, já que as crianças têm a tendência de desenvolver otite.

Quanto ao tratamento, o médico pode recomendar que o paciente use analgésicos para aliviar a dor ou em caso de infecção bacteriana, é usado antibióticos.

Sinusite

A sinusite é uma inflamação que acomete a mucosa dos seios da face, isto é, as cavidades ósseas que ficam localizadas ao redor do nariz. Alguns dos sintomas são secreções nasais, dor de cabeça e redução do olfato. Assim, ela pode surgir em decorrência de uma infecção por meio de bactérias, vírus e fungos ou, ainda, uma alergia.

Logo, a sinusite aguda tem um período de duração menor e, em grande parte dos casos, é temporário. Já o problema crônico é analisado por mais de 12 semanas.

O tratamento é prescrito por um médico especialista e pode ser usado medicamentos anti-inflamatórios, descongestionantes e outros.

Amigdalite 

É uma dor de garganta que atinge uma parcela significativa da população, sendo que as crianças tendem a desenvolver mais do que adultos. A inflamação das amígdalas causa sintomas, como inchaço, dor de garganta e febre.

Esses sinais se intensificam principalmente no inverno, pois nessa época os ambientes fechados e o ar contribuem para a proliferação de vírus e bactérias.

Com o tratamento é possível curar a amigdalite, eliminando as dores e infecção. Contudo, cabe ao médico analisar qual é a origem, bacteriana ou viral. A partir disso é necessário iniciar o uso de medicamentos e se resguardando para também ter uma boa recuperação e, em alguns casos, evitar a transmissão.

Como abordado durante o post, há algumas doenças de inverno ,e por isso, identificar os sintomas e causa de cada uma delas tem grande importância. Com algumas ações você pode se prevenir de contrair e desenvolver esses problemas. Então, procure beber a quantidade necessária de água para seu corpo, evite ambientes fechados e dê preferência aos locais arejados. Também tenha uma boa rotina alimentar, faça exercícios físicos e durma bem. Com todas essas dicas é possível evitar doenças e ter uma vida mais saudável durante o frio. Além disso, lembre-se de que consultar um médico regularmente é fundamental para estar com a saúde em dia e realizar o tratamento adequado em caso de doenças.

Esperamos que essas informações tenham ajudado você a entender mais sobre as doenças de inverno e maneiras de evitá-las.

O que você achou do conteúdo? Compartilhe este post nas redes sociais para que seus amigos também conheçam mais sobre o tema!

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?