Otorrino Paulista

Você sofre de hipersensibilidade auditiva? Tratamentos

O barulho da televisão, do celular e do latido do cachorro é tão comum e incorporado à nossa rotina que muitas vezes nem nos damos conta dele, não é mesmo? Para pessoas que sofrem de hipersensibilidade auditiva, no entanto, tais ruídos representam um grande incômodo. O jeito, então, é ficar em um ambiente o mais silencioso possível, certo? Errado. Quanto menor a exposição aos estímulos sonoros, mais sensíveis ficam os ouvidos de quem tem esse tipo de problema.

Neste post, você vai descobrir o que é hipersensibilidade auditiva, quais são os tipos, os sintomas, as causas e as formas de tratamento. Confira!

O que é hipersensibilidade auditiva?

Hipersensibilidade auditiva é o incômodo ao ouvir os sons do ambiente, como o toque do celular e o latido dos cães. A maioria das pessoas é capaz de suportar barulhos de até 120 decibéis — a unidade que mede a intensidade sonora. Por sua vez, o limite de quem é hipersensível aos ruídos é de 90 decibéis. Isso significa que mesmo os sons baixos incomodam. Ao contrário do que muita gente imagina, a audição de indivíduos que têm hipersensibilidade é completamente normal. O problema é a tolerância aos sons, que é extremamente baixa.

Quais os tipos de hipersensibilidade?

Esse problema pode se apresentar de formas diferentes, por isso, é importante saber diferenciá-lo para buscar o melhor tratamento. Há três tipos de hipersensibilidade auditiva. Entenda!

Hiperacusia

É um problema que torna o indivíduo intolerante aos sons fracos e de média intensidade. Em casos mais graves, chega a atrapalhar o convívio com outras pessoas.

Misofonia

Em resumo, a misofonia é a hipersensibilidade a ruídos que se repetem, como o tique-taque do relógio, os sons do teclado, o barulho da chuva ou da torneira pingando.

Fonofobia

A fonofobia é o medo de ouvir sons. Tal problema provoca crises de choro e sudorese, por exemplo. Pessoas com hiperacusia podem se tornar fonofóbicas.

Quais os sintomas da hipersensibilidade auditiva?

Os principais sintomas da hipersensibilidade auditiva são os seguintes:

dor de ouvido e cabeça;
perturbação mental;
tontura e náuseas;
ansiedade e estresse;
irritabilidade;
sensibilidade da audição quando se ouve sons considerados baixos.

Sons comuns que não são altos, como risadas, latidos de cachorros e o tilintar de talheres, por exemplo, podem causar bastante irritação e dor em pessoas que sofrem com hipersensibilidade auditiva. Além disso, sintomas como zumbidos e dor de cabeça são agravados devido ao problema.

O zumbido é um problema auditivo em que a pessoa percebe um som, embora não haja uma fonte externa que o produza. Ele pode ser semelhante ao esvoaçar de insetos, chiado de televisão fora do ar, pulsações do coração, assobios ou com sons feitos por panelas de pressão e comprimidos efervescentes em um copo de água.

Indivíduos que sofrem com essa alteração escutam sons de maneira persistente. Além disso, eles se intensificam a noite, visto que não há outros barulhos externos para mascarar o zumbido. A hipersensibilidade auditiva pode agravar esse problema, ou seja, os zumbidos são percebidos com maior volume pelo indivíduo, causando extremo desconforto.

Quais são as causas desse problema?

Já as causas estão relacionadas a fatores diversos. O componente genético é um deles. Sendo assim, pessoas com integrantes na família que sofrem com o problema estão mais propensas a desenvolvê-los. Abaixo, falaremos sobre as principais patologias associadas a hiperacusia ou hipersensibilidade auditiva.

Enxaqueca

A enxaqueca é um dos tipos mais incômodos de cefaleia ou dor de cabeça. As crises são muito recorrentes e a dor é de intensidade moderada a grave, ocorrendo somente de um lado da cabeça. Normalmente, esse sintoma é acompanhado de náuseas, vômitos, tontura, sensibilidade a luz e ao som e irritabilidade, entre outros, que varia de indivíduo para indivíduo.

Concussão

A concussão é um tipo de trauma, caracterizado pela perda da consciência por um período. Esse evento pode provocar sérios danos à massa cerebral, comprometendo algumas funções, como também causar hipersensibilidade auditiva devido a trauma no ouvido, no tímpano ou em músculos localizados na região.

Autismo

O transtorno de espectro autista, ou TEA, é caracterizado por comprometimentos na comunicação e linguagem, assim como na inteligência e comportamento social. É importante salientar que cada pessoa com autismo tem manifestações próprias, sendo que nem todas apresentaram disfunções na audição.

No entanto, a grande maioria dos indivíduos com transtorno do espectro autista têm uma alteração em seus sentidos, sendo hipersensíveis. Alguns, por exemplo, tem sensibilidade ao toque e incomodam-se com texturas. Já outras pessoas têm audição muito aguçada, não suportando ficar em locais com muita agitação ou barulhos repetitivos.

Infecções no ouvido

Infecções nos ouvidos que não são tratadas podem gerar a hipersensibilidade auditiva. A otite, que pode ser externa ou interna, é uma causa comum de sensibilidade auditiva, normalmente causada pela entrada de bactérias ou vírus. Outros agentes causadores são os danos ao cérebro — os quais prejudicam o processamento adequado dos sons — e até mesmo o estresse.

Como tratar a hipersensibilidade auditiva?

O tratamento contra a hipersensibilidade auditiva envolve o uso de medicamentos. Para aliviar as dores e a irritação ao ouvir os sons, podem ser receitados analgésicos. Já os ansiolíticos ou os antidepressivos são recomendados para controlar a ansiedade e o estresse do paciente que sofre com o problema.

A psicoterapia também é indicada para auxiliar as pessoas a lidar da melhor maneira com a hipersensibilidade no dia a dia. Outro método para tratar o problema é a terapia sonora, que consiste em submeter o indivíduo a determinados ruídos para que ele, com o tempo, se acostume com os sons em sua rotina.

Em casos mais graves, nos quais o paciente que sofre de hipersensibilidade tem algum grau de perda auditiva, a cirurgia pode ser aconselhada. O procedimento cirúrgico, no entanto, raramente é realizado.

Tratamento durante o sono

Você sabia que a hipersensibilidade auditiva pode ser tratada durante o sono? Feito por meio da terapia sonora, o tratamento é indicado apenas para quem tem hiperacusia. Na hora de dormir, coloca-se um som agradável no ambiente para ser ouvido no decorrer de toda a noite.

O barulho de fonte de água é uma sugestão que funciona bem, assim como outros ruídos chamados de brancos, sendo usados para disfarçar a percepção de sons muito altos captados pelo ouvido da pessoa. Esse termo também é utilizado para qualquer outro barulho que ajude a pessoa a se distrair de ruídos incômodos.

Dessa forma, é possível habituar o cérebro a compreender que tal ruído, assim como os do dia a dia, não é agressivo. A dica é iniciar com uma intensidade sonora fraca e, aos poucos, aumentar até que o barulho não incomode mais.

No entanto, é fundamental procurar um profissional especialista no assunto, a fim de receber orientações e verificar a melhor opção de tratamento para o problema. Nesse caso, o otorrinolaringologista é o médico de escolha, visto que além de examinar o ouvido e suas estruturas, esse profissional é capaz de indicar exames específicos para verificar qual é a causa da alteração auditiva.

Então, entendeu o que é a hipersensibilidade auditiva? Se você ainda estiver com dúvidas pode deixar um comentário no espaço abaixo! Além disso, se você já passou por um tratamento para hiperacusia, escreva a sua experiência, relatando os pontos positivos e negativos!

Powered by Rock Convert

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?