Otorrino Paulista

Cirurgia na quarentena: devo operar durante a pandemia?

Durante este período de pandemia da Covid-19 diversas atividades foram adiadas para a prevenção da doença. Porém, algumas outras tornaram-se mais recorrentes. Uma delas foi o procedimentos estético da rinoplastia. A cirurgia plástica teve um aumento de buscas de 4.800%, de acordo com os mecanismos de busca do Google. Isso se deve à reclusão proporcionada pela quarentena, que permite que a pessoa fique em casa durante toda a recuperação, facilitando o processo.

Muitos ainda têm dúvidas sobre processos cirúrgicos, principalmente cirurgias plásticas, durante o combate à uma doença séria e grave como o coronavírus. Compreenda a seguir como as cirurgias estéticas são realizadas neste momento, os riscos e as recomendações do pré e pós-operatório.

Cirurgias na pandemia

No início da pandemia as autoridades de saúde recomendaram que todas as cirurgias (estéticas ou não) fossem canceladas ou adiadas para a prevenção do coronavírus. Porém, com a reabertura gradual dos estados, como São Paulo, diversos procedimentos estão sendo liberados, principalmente aqueles pouco evasivos ou cirurgias de pequeno porte, como rinoplastias, septoplastias, entre outras, além das de extrema necessidade. Para que isso ocorra, diversas medidas devem ser tomadas pelos cirurgiões e pacientes.

De acordo com o otorrinolaringologista Fabiano Haddad Brandão (CRM 104534), as cirurgias estão ocorrendo de forma muito segura e seguindo todos os protocolos necessários. “Na Otorrino Paulista, testamos toda a equipe semanalmente, afastando quem apresenta qualquer sintoma gripal ou que possa ter relação ao Covid. Os pacientes também são testados 3 ou 4 dias antes do procedimento e mantidos em isolamento até a data da cirurgia.”

Equipamentos de segurança também são fundamentais, especialmente no período atual. “Por segurança usamos máscaras N95, óculos de proteção e outros equipamentos de proteção. Evitamos o uso de brocas e selecionamos pacientes que não estejam em grupos de risco, como os de idade avançada, obesos ou outros”, explica Brandão.

O dever do profissional é assegurar a integridade e assepsia do hospital escolhido, que deve ter uma área própria para esses procedimentos e para recuperação dos operados. Para o paciente os cuidados são similares, preocupando-se sempre com o bem-estar.

Ao decidir realizar qualquer tipo de cirurgia, consulte um médico especialista para saber o tempo de recuperação e o valor da cirurgia. Você deve ser sincero caso tenha doenças pré-existentes, como problemas cardíacos, respiratórios e diabetes. Ao ter acesso à essas informações, o médico saberá se é possível ou não fazer a operação.

Quais medidas de proteção devo tomar?

Após consultar um especialista para saber quais cirurgias podem ser realizadas neste momento de pandemia e quarentena, algumas medidas de proteção devem ser seguidas por aquele que decidiu por fazer uma cirurgia estética. A primeira é seguir todas as recomendações de higiene ofertadas pelo Ministério da Saúde e reforçadas por médicos, que são: lavar as mãos com sabão em água corrente e utilizar álcool em gel sempre que não puder higienizar as mãos com água. Além disso, evite aglomerações e contato social. Caso seja necessário sair de casa, use máscara o tempo todo.

Seguindo essas recomendações, a possibilidade de contágio pelo coronavírus diminui. Porém, antes de realizar a cirurgia, faça o teste da Covid-19 e informe o resultado ao seu médico. Outro detalhe para atentar-se é se possui ou não qualquer sintoma da doença, os mais comuns são: tosse seca, cansaço, febre, inflamação na garganta, congestionamento nasal, dores no corpo, dificuldade para respirar e diarreia.

Depois de seguir todas as recomendações de prevenção no pré-operatório, a cirurgia pode ser realizada e o próximo passo é o pós-operatório. Por que, além de seguir todas as instruções passadas pelo cirurgião, o operado deve continuar com as mesmas recomendações de higiene depois. Após qualquer tipo de procedimento cirúrgico, o organismo fica mais suscetível às doenças, e a contaminação pela Covid-19 seria de extremo risco.

Vantagens da quarentena

Realizar uma operação em um período de pandemia tem seus riscos pois, como já foi dito, o pós-operatório deixa a pessoa mais suscetível às doenças e infecções. Mas, com os cuidados necessários, é possível recuperar-se por completo.

Ao estar confinado em casa, sem sair para trabalhar ou passear, é mais provável estar isolado do vírus e de outras bactérias, doenças que podem causar um desconforto nesse momento de recuperação. Outro detalhe é poder ter esse tempo em casa para dedicar-se à cicatrização, sem precisar realizar grandes esforços físicos, além de evitar o constrangimento após uma cirurgia no rosto que deixa a região inchada. Em alguns procedimentos como a rinoplastia, a máscara pode ser uma aliada, escondendo o arroxeado do nariz.

“Neste momento de isolamento, tem-se uma melhor recuperação, pois os pacientes estão em casa, sem contato com outras pessoas, o que diminui o fator de contaminação da cirurgia otorrinolaringológica. Temos visto recuperações mais rápidas e seguras, como por exemplo, nas cirurgias nasais, tanto as estéticas como as funcionais”, conclui o Dr. Fabiano H. Brandão.

Sendo assim, na fase em que vivemos da pandemia no Brasil, levando em consideração o que dizem as autoridades dos estados, uma cirurgia é possível de ser realizada. Para aqueles que possuem alguma doença pré-existente, é aconselhável consultar um médico antes de operar ou até mesmo adiar a cirurgia, plástica ou não. Para os que não fazem parte de um grupo de risco, é essencial prevenir-se contra o coronavírus, fazer um teste antes de operar e conversar com um especialista a respeito.

Compartilhe !

Agendar consulta
1
Agendar consulta
Olá! Quer ter mais informações para agendar sua consulta?