Otorrino Paulista

De repente você começa a sentir dificuldade para respirar, sangramentos nasais ou tosse persistente. Decide ir ao médico e ele diz que suas queixas e sintomas levam à necessidade de um exame que permita a visualização das estruturas internas das vias aéreas. Nesses casos, os mais solicitados são a nasofibroscopia e a laringoscopia.

Como não são exames comuns no dia a dia, a exemplo do famoso exame de raio-X, é normal que apareçam dúvidas sobre o que são e a diferença entre ambos. É o seu caso? Então continue a leitura!

Como é realizada a nasofibroscopia?

Considerado um exame endoscópico das cavidades nasais, é realizado com o auxílio de um nasofibroscópio. Esse aparelho é formado por um tubo (que pode ser rígido ou flexível), o qual leva em seu interior uma fibra ótica com uma câmera que permite a visualização da região interna do nariz.

A realização geralmente começa com a aplicação de um anestésico tópico que prepara a região para a posterior introdução da fibra ótica na cavidade nasal. A partir disso o médico consegue visualizar a região e em cerca de 15 minutos o exame é finalizado.

Não existe restrição de idade para a realização, podendo ser feito tanto em adultos quanto em crianças. O principal objetivo do procedimento é auxiliar na identificação de alterações na cavidade nasal, nasofaringe e seios paranasais.

Como é realizada a laringoscopia?

Assim como a nasofibroscopia, é um exame endoscópico. Realizado com o auxílio do laringoscópio, permite visualizar as vias aéreas superiores: nariz, faringe e laringe. Dessa forma, possibilita ao médico a identificação de diversos problemas como dificuldade para engolir, rouquidão, tumor na garganta, entre outros.

Em alguns casos o exame, que dura entre 5 e 10 minutos, é também utilizado para remover algum objeto estranho da região. O procedimento é semelhante ao exame anterior: anestesia na região e posterior introdução do laringoscópio via oral ou nasal.

Embora não exista restrição de idade, nos casos em que a laringoscopia é via oral o recomendado é que o paciente tenha mais de 12 ou 13 anos, visto que o procedimento requer colaboração e crianças menores podem não ficar à vontade.

Qual é a principal diferença entre um exame e outro?

A nasofibroscopia é um tipo de endoscopia nasal que permite a avaliação apenas das cavidades nasais. Já a laringoscopia, apesar de ter um procedimento semelhante, é um exame mais completo, pois permite avaliar, além da região nasal, a laringe. Em resumo: são procedimentos semelhantes e o que os difere é a região analisada. Sendo assim, a indicação médica sempre vai depender dos sintomas e queixas.

Existe algum segredo para realizar o exame?

O grande segredo está na escolha do profissional para a realização do exame. Embora seja um exame indolor, algumas pessoas podem sentir desconforto ou até medo. Nesses casos, um bom profissional saberá conduzir o procedimento de forma que seja um processo tranquilo.

Outro ponto importante e que também está atrelado à escolha de um bom profissional, é a análise do exame. É importante que o médico seja um otorrinolaringologista, visto que essa especialização garante maiores habilidades para identificar possíveis alterações na região avaliada, aspecto importante para o diagnóstico e tratamento.

Como você viu, a laringoscopia e a nasofibroscopia são exames importantes para quem sofre com problemas que envolvem a região do nariz e garganta. Além desses exames, você sabia que existe a nasofibrolaringoscopia? É como se fosse a união dos dois anteriores, permitindo visualizar a cavidade nasal e a garganta em um procedimento só.

Ficou curioso? Então, saiba como funciona o exame de nasofibrolaringoscopia!